Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
10/09/13 às 19h34 - Atualizado em 30/10/18 às 15h06

Representantes de órgãos internacionais visitam unidades de saúde mental em Samambaia

COMPARTILHAR

SES apresenta serviços de atendimento a usuários de álcool e drogas

Representantes da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e do Escritório das Nações Unidas para Drogas e Crime (UNODC) visitarão nesta quarta-feira (10) às 9h, o Centro de Atenção Psicossocial – Álcool e Drogas (CAPS-AD, III) e a Unidade de Acolhimento de Samambaia, qualificados no atendimento a usuários de álcool e outras drogas.

Os técnicos conhecerão os serviços de acolhimento e tratamento 24 horas oferecidos pela Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES/DF), pautados na valorização dos direitos humanos do paciente, no acolhimento prestado por uma equipe multidisciplinar, visando à reinserção social.

A visita faz parte da programação do Simpósio Internacional sobre Drogas: da Coerção à Coesão, realizado em Brasília, até quarta-feira (11), no Museu da República, que reúne cerca de 600 representantes de instituições internacionais, de ministérios, gestores da saúde mental e de movimentos sociais, para debater as políticas de drogas no mundo.

Cobertura assistencial álcool e drogas no DF – De acordo com a diretoria de Saúde Mental da SES/DF, atualmente, o DF detém praticamente o dobro da cobertura assistencial de CAPS-AD para 100 mil habitantes.

“Em dois anos de gestão a SES/DF mais que duplicou a cobertura assistencial em saúde mental. Nos CAPS-AD foram abertos em torno de 8500 prontuários”, informa o diretor de Saúde Mental, Augusto César de Farias.

Nos últimos dois anos de execução do Plano Distrital de Enfrentamento ao Crack, instituído em 31 de agosto de 2011, a SES/DF ampliou a rede de Serviços de Saúde Mental, voltados para a atenção a usuários de álcool e outras drogas.

O DF tem hoje uma cobertura assistencial em saúde mental de 0,59 CAPS por 100 mil habitantes (parâmetro adotado pelo Ministério da Saúde). “No início de 2011, a cobertura era crítica, de 0,21. Após dois anos e meio, alavancamos. O indicador de 0,59 é considerado uma boa cobertura”, destaca Augusto César. Outro dado importante da diretoria refere-se especificamente à cobertura nacional de álcool e drogas, que apresenta indicador de 0,17 CAPS-AD por 100 mil habitantes.

Outro dado importante da diretoria refere-se especificamente à cobertura nacional de álcool e drogas, que apresenta indicador de 0,17 CAPS-AD por 100 mil habitantes. No DF, o índice atual é de 0,31 CAPS-AD para cada grupo de 100 mil habitantes.

Os números do setor ainda mostram um comparativo com as demais Unidades de Acolhimento (UA) do país, que tem hoje dez unidades cadastradas junto ao Ministério da Saúde e, somente o DF, já conta com duas em funcionamento, a de Samambaia e de Taguatinga, com previsão para implantação de mais três.

Atualmente, a SES/DF conta com nove unidades específicas para o tratamento de dependentes de álcool e drogas, sendo cinco com funcionamento 24 horas.

Unidades
– CAPS-AD Guará
– CAPS-AD Santa Maria
– CAPS-AD Sobradinho
– CAPS-AD Itapoã
– CAPS-AD, tipo III, Ceilândia (24 horas)
– CAPS AD, tipo III, Rodoviária (24 horas)
– CAPS AD, tipo III, Samambaia (24 horas)
– CAPS AD, tipo III, Brasília (24 horas)
– CAPS ADin (Infanto-juvenil), tipo III, Taguatinga (24 horas)
– Unidade de Acolhimento Adulto – Samambaia
– Unidade de Acolhimento Infanto-Juvenil – Taguatinga

Iêda Oliveira