Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
4/08/20 às 10h49 - Atualizado em 4/09/20 às 19h02

Sarampo: dose zero da vacina está disponível para bebês de seis a 11 meses

COMPARTILHAR

Essa faixa etária é mais suscetível a casos graves e óbitos pela doença

 

LEANDRO CIPRIANO, DA AGÊNCIA SAÚDE

 

A Secretaria de Saúde alerta a população sobre a importância de levar as crianças com idade entre seis a 11 meses para tomarem a chamada “dose zero” da vacina tríplice viral, que protege contra sarampo. O objetivo é intensificar a vacinação desse público-alvo, que é mais suscetível a casos graves e óbitos pela doença.

 

Sarampo é uma doença viral infecciosa grave causada pelo vírus Measles morbillivirus – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde DF

 

Devido ao surto de sarampo no país, a Secretaria de Saúde reforça a necessidade de as crianças serem vacinadas o quanto antes nas unidades básicas de saúde (UBSs) do DF.

 

“Essa faixa etária tem risco de maior complicação e óbito em decorrência do sarampo, por isso é muito importante que sejam vacinadas. Todas  crianças menores de um ano têm potencial maior de gravidade. Lembrando que a ‘dose zero’ é indicada somente para os bebês de seis a 11 meses de idade”, informou a enfermeira da área técnica da Secretaria de Saúde, Fernanda Ledes.

 

Arte: Rafael Ottoni

A tríplice viral está disponível na rotina dos serviços de todas as salas de vacina. Ela previne também contra rubéola e caxumba.

 

Cobertura vacinal

 

Um agravante da situação tem sido a baixa cobertura vacinal desse público-alvo no DF devido à pouca procura pelo serviço, mesmo antes da pandemia do novo coronavírus.

 

No primeiro quadrimestre do ano, 8.208 crianças menores de um ano foram vacinadas contra o sarampo no DF, o que representou apenas 55,8% de cobertura vacinal. “O ideal é que pelo menos 95% dos bebês estejam vacinados”, ressaltou Fernanda Ledes.

 

Devido a baixa cobertura vacinal, a Saúde alerta para a necessidade de vacinar as crianças contra a doença – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde DF

 

A “dose zero” foi instituída pelo Ministério da Saúde em agosto de 2019 e não tem período determinado para acabar. A ação é uma resposta imediata em decorrência do aumento de casos da doença em alguns estados.

 

O Ministério da Saúde tem um planejamento de compra da vacina, tendo como base o número de pessoas que devem ser vacinadas, considerando as ações de rotina; as ações de bloqueio para interromper a cadeia de transmissão; além das doses adicionais para crianças de seis a 11 meses.

 

Calendário de vacinação

 

É importante destacar que a “dose zero” não substitui e não será considerada válida para fins do calendário nacional de vacinação da criança.

 

Assim, além dessa dose que está sendo aplicada agora, os pais e responsáveis devem levar os filhos para tomar a tríplice viral aos 12 meses de idade (1ª dose); e aos 15 meses (2ª dose) para tomar a vacina tetra viral ou a tríplice viral + varicela, respeitando-se o intervalo de 30 dias entre as doses.

 

A vacinação de rotina das crianças deve ser mantida independentemente de a criança ter tomada a “dose zero” da vacina.

 

EDIÇÃO: JOHNNY BRAGA

REVISÃO: JULIANA SAMPAIO