Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
13/04/18 às 18h44 - Atualizado em 13/04/18 às 18h44

Saúde dá início às contratualizações com as regiões de Saúde

COMPARTILHAR

A Secretaria de Saúde promoveu, nesta sexta-feira (13), um encontro para dar início ao processo de contratualização com as superintendências regionais de saúde.

 

Esta é a segunda etapa do projeto de descentralização e regionalização da pasta, iniciado em 2016. A primeira fase ocorreu em dezembro do ano passado, quando foi assinado o acordo de gestão regional entre a administração central e as regiões de saúde.

 

A contratualização tem como finalidade formalizar a relação entre os gestores públicos de saúde e suas unidades territoriais por meio do estabelecimento de compromissos entre as partes que promovam melhoria do desempenho e a qualificação da assistência de acordo com as diretrizes estabelecidas nas políticas públicas.

 

A segunda etapa foi iniciada com a atenção primária.

 

“Isso vem justamente ser mais uma ferramenta para organizar a conversão da atenção primária e a consolidação da Estratégia Saúde da Família de forma responsável e planejada, para que a gente possa olhar, monitorar e avaliar as ações que estão sendo desempenhadas e contribuir no planejamento desta ações. Isso alinhado ao novo modelo assistencial que estamos vivenciando no DF e numa reforma sanitária que tenha uma continuidade organizada”, explica a coordenadora de Atenção Primária, Alexandra Gouvêa.

 

Um total de 150 pessoas participaram da reunião desta sexta-feira (13) entre gerentes e diretores de atenção primária e gestores da Coordenação de Atenção Primária da Secretaria de Saúde. Na ocasião, foi ministrado um curso de aperfeiçoamento para construir a contratualização local, que na atenção primaria deverá estar pronta até junho deste ano.

 

“Após a contratualização com as unidades básicas de saúde, o mesmo processo será feito com gestores da atenção especializada, posteriormente com as unidades de referência distrital (hospitais Materno Infantil, de Apoio, e São Vicente de Paulo, e o Complexo Regulador) e, por último, com a atenção secundária”, informa a diretora de Gestão Regionalizada, Mabelle Roque.

 

 

TEXTO: Alline Martins, da Agência Saúde