Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
12/05/20 às 19h02 - Atualizado em 13/05/20 às 15h26

Saúde disponibiliza Central de Teleatendimento para populações vulneráveis

COMPARTILHAR
Serviço dará orientações acerca da Covid-19, doenças crônicas e até sobre saúde mental


A Secretaria de Saúde começou a ofertar a Central de Teleatendimento, voltada para populações vulneráveis com o objetivo de dar orientações em saúde relacionadas à Covid-19 e a outras temáticas. Quem quiser tirar alguma dúvida poderá ligar ou enviar mensagem pelo WhatsApp para os seis números disponíveis.

 

O público-alvo da Central de Teleatendimento são: unidades de acolhimento para crianças e adolescentes; instituições de longa permanência para idosos; unidades de acolhimento para pessoas em situação de vulnerabilidade social, como pessoas em situação de rua; e populações específicas como: LGBTI+, indígenas, população em situação de rua, quilombolas, refugiados, ciganos, de assentamentos, dentre outros.

 

“A criação dessa Central de Teleatendimento é mais um instrumento que o governo Ibaneis Rocha estão criando para ajudar e ampliar o combate ao coronavírus e todas as consequência da pandemia da Covid-19”, explica o secretário de Saúde, Francisco Araújo, ressaltando que o Distrito Federal foi o primeiro a tomar providências importantes para o enfrentamento da doença.

 

Já a gerente de Atenção à Saúde a Populações em Situação Vulnerável e Programas Especiais,  Denise Ocampos,  ressalta que a Central é importante para a minimização dos impactos biológicos, psicológicos e sociais da Covid-19 com relação às populações vulneráveis. Além da intervenção rápida em casos agudos”.

 

Com o serviço da central também será possível aumentar o grau de resolutividade de demandas em saúde, prestar acolhimento em Saúde Mental para gestores, colaboradores e usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) e acelerar a dinâmica da Rede de Atenção à Saúde do Distrito Federal.

 

Dentre os serviços prestados pela Central de Teleatendimento estão o acolhimento sobre saúde mental; atividades online para gestores, trabalhadores e usuários do SUS Como: cursos, reuniões etc.; orientações sobre a Covid-19 e monitoramento dos casos suspeitos nas unidades de acolhimento; boletins informativos; e orientações sobre doenças crônicas.

 

“Nosso objetivo é orientar às populações em situação de vulnerabilidade social, por teleatendimento, quanto às medidas preventivas, controle e enfrentamento da pandemia da Covid-19 e outros assuntos”, destaca.

 

A Central de Atendimento tem como parceiros a Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde (Fepecs) e a Universidade Católica de Brasília (UCB). A atendimento é feito por servidores da Secretaria de Saúde, com o auxílio de estudantes do 5° ano de Medicina da Escola Superior em Ciências da Saúde (ESCS) e da Católica, com auxílio dos residentes e docentes.

“Esse acolhimento da saúde mental pode ser terapêutico e servirá para encaminhar as pessoas que tiverem algum sinal de transtorno mental ou sofrimento psíquico. Poderemos encaminhar para os centros de acolhimento, como o do Autódromo”, explica Laíz Elias, residente multiprofissional de Saúde da Família e Comunidade da ESCS, formada em Psicologia.

 

A central funcionará de segunda a exta-feira, das 8h às 12h e das 13h  às 17h. Os telefones da Central de Teleatendimento são:
(61) 99555 3908
(61) 99554 3621
(61) 99280 6120
(61) 92280 3744
(61) 99108 3449

 

Texto: Jurana Lopes, da Agência Saúde

Fotos: Breno Esaki/Agência Saúde