Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
24/11/20 às 17h00 - Atualizado em 24/11/20 às 19h52

Saúde do DF participa do lançamento da campanha nacional de combate ao Aedes aegypti

COMPARTILHAR

Iniciativa vai informar os perigos do mosquito e motivar a população a eliminar criadouros

 

AGÊNCIA SAÚDE DF

 

Abertura da campanha ocorreu no Ministério da Saúde e contou com participação do Secretário de Saúde do DF – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde DF

Gestores da Secretaria de Saúde do Distrito Federal participaram, nesta terça-feira (24), do lançamento da campanha nacional de combate ao mosquito Aedes aegypti, promovida pelo Ministério da Saúde em Brasília. Com o tema “Combater o mosquito é com você, comigo, com todo mundo”, a iniciativa busca conscientizar sobre os perigos do inseto e motivar os brasileiros a combaterem os criadouros do mosquito.

 

Conforme o planejamento do ministério, a ação é dividida em duas fases: a primeira alerta sobre a importância do cuidado aos locais que podem acumular água, e a segunda informa os sintomas e as formas corretas de tratar as doenças transmitidas pelo aedes, como a dengue, a zika e a chikungunya.

 

A campanha será veiculada na TV, rádio, internet e mídia exterior. Ao mesmo tempo, a ideia é valorizar a figura do agente de saúde, que cumpre um papel importante ao informar e orientar a população sobre como combater corretamente os criadouros do mosquito.

 

Durante o lançamento da campanha, o secretário de Saúde do DF, Osnei Okumoto, cumprimentou todos os agentes de Vigilância Ambiental do Distrito Federal que compareceram ao evento e elogiou o “papel fundamental deles na luta contra o Aedes”. Também destacou “o importante vínculo da pasta com o Ministério da Saúde” e a parceria nas ações para prevenir a proliferação do mosquito.

 

“Peço a todos do DF que trabalhem muito na questão de impedir que haja criadouros do mosquito na água parada, baldes e assim por diante. Contamos com a colaboração de todos para vencer o Aedes, e a participação de cada um é fundamental”, afirmou Okumoto.

 

Agentes de Vigilância Ambiental participaram da abertura da campanha nacional – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde DF

Na mesma linha de raciocínio, o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Elcio Franco, ressaltou que ações como a campanha vêm para orientar a população sobre o papel de evitar a formação de criadouros do transmissor da dengue. “O tratamento preventivo é essencial. E isso ocorre por intermédio do combate ao mosquito, com a conscientização e educação da população, que é muito importante para essa campanha ter êxito”, declarou.

 

Dados sobre dengue

 

Segundo o secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Medeiros, nesse ano foram registrados 971.136 casos de dengue em todo o Brasil até 14 novembro, com taxa de incidência de 462,1 casos por 100 mil habitantes no país. Neste período, foram confirmados 528 óbitos por dengue, sendo que o Paraná, São Paulo, Distrito Federal e Mato Grosso do Sul concentravam 76,8% dos casos (401).

 

De acordo com Osnei Okumoto, somente no DF foram registrados mais de 46 mil casos de dengue neste ano, enquanto que em 2019 houve em torno de 37 mil ocorrências. “Houve um aumento de 22% em decorrência da pandemia, que nos prejudicou muito na utilização das nossas máquinas de UBV pesado”, informou. Os dados constam no último boletim sobre a doença.

 

Após o evento, veículos da Vigilância Ambiental seguiram para ação na Vila Planalto- Foto: Breno Esaki/Agência Saúde DF

Por isso, o secretário de Saúde ressaltou a importância de campanhas para reforçar o combate ao mosquito, que precisa “ser travado em todas as épocas, inclusive durante a pandemia”.

 

Prevenção

 

O Ministério da Saúde recomenda que, em pelo menos 15 minutos, é possível fazer uma varredura em casa, realizando toda a higiene e limpeza necessárias para evitar a proliferação do mosquito. Para isso, é preciso eliminar os recipientes com água parada – ambiente propício para procriação do Aedes aegypti.

 

 

É importante se lembrar de tampar os tonéis e caixas d’água, manter calhas sempre limpas, deixar garrafas e recipientes com a boca para baixo, limpar semanalmente ou preencher pratos de vasos de plantas com areia, manter lixeiras bem tampadas e ralos limpos e com aplicação de tela, além de manter lonas para materiais de construção e piscinas sempre esticadas para não acumular água.

 

EDIÇÃO: JOHNNY BRAGA

REVISÃO: JULIANA SAMPAIO

 

Veja mais fotos:

 

Saúde do DF participa do lançamento da campanha nacional de combate ao Aedes aegypti