Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
7/03/13 às 18h48 - Atualizado em 30/10/18 às 14h58

Saúde entrega segunda Carreta da Mulher

COMPARTILHAR

Atendimento começa no presídio feminino

O primeiro ano de atuação da Unidade Móvel de Saúde da Mulher será comemorado com o lançamento de uma nova carreta, nesta sexta-feira (8), na Penitenciária Feminina do Distrito Federal, no Setor de Chácaras do Gama Leste. Ao longo do dia, as detentas terão a oportunidade de fazer exames de mamografia, ecografias e preventivo do câncer de colo de útero – 150 procedimentos no total.

A prioridade, de acordo com a subsecretária de Atenção Primária à Saúde, Rosalina Sudo, é fazer mamografia em mulheres com idade entre 50 e 69 anos. Também serão realizadas ecografias para o rastreamento de problemas de saúde ou para apoio diagnóstico em detentas acima de 40 anos. As grávidas terão prioridade no atendimento.

Já o preventivo do câncer de colo de útero (Papanicolau) será oferecido às mulheres que estejam com o exame vencido ou tenham chegado recentemente ao presídio. “Acreditamos que poucas necessitem desse exame, pois temos equipe de saúde prisional no local, que promove, regularmente, esse procedimento”, ressalta Rosalina.

Para a subsecretária, a ação na penitenciária é importante devido ao caráter restritivo em que se encontram essas mulheres. “Há uma dificuldade de se levar as detentas para a realização de exames fora da unidade. Esse problema é resolvido com a ida da carreta ao local”, explica.

Nas três semanas seguintes, a partir do dia 11, a nova Carreta da Mulher vai atender as moradoras do Setor Oeste do Gama, próximo ao centro comunitário. O lançamento dessa nova unidade vai dobrar a capacidade de oferta de exames para mulheres de áreas mais carentes do DF.

Em um ano de funcionamento, a primeira unidade móvel realizou 32.614 exames até o dia 22 de fevereiro. Foram 10.955 mamografias, 11.411 ecografias e 10.248 preventivos.

A Penitenciária Feminina do Distrito Federal (PFDF) é um estabelecimento prisional de segurança média, destinado ao recolhimento de sentenciadas a cumprimento de pena em regime fechado e semiaberto, bem como de presas provisórias que aguardam julgamento.

Endereço: Granja Luis Fernando, Área Especial 2, Setor Leste do Gama.

Equipe de saúde atua no presídio

As 646 detentas da penitenciária são atendidas de forma integral por uma equipe do Programa de Saúde Prisional da SES. Essa equipe é formada por médico, enfermeiro, psicólogo, terapeuta ocupacional, assistente social, técnico de enfermagem e tem o apoio de um psiquiatra e um infectologista e de uma equipe de odontologia. De segunda a sexta-feira, os profissionais atendem as demandas que surgem, além dos atendimentos programados.

Os atendimentos envolvem a promoção, prevenção e execução de ações básicas de saúde como planejamento familiar, pré-natal e atenção ao puerpério (período pós-parto), exames citopatológicos (papanicolau), controle da tuberculose, hanseníase, hipertensão e diabetes, busca ativa para DST/Aids, saúde bucal, dermatologia geral e sanitária. A saúde mental tem atenção especial com ênfase nas doenças prevalentes entre a população prisional devido aos problemas psicossociais decorrentes do confinamento.
O Programa de Saúde Prisional inclui ainda medidas de proteção específica com a oferta de vacinas contra influenza, hepatite B, tétano, febre amarela e tríplice viral.

Mutirão

Para reforçar o atendimento, ao longo do ano são realizadas algumas ações. Entre os dias 4 a 8 de fevereiro aconteceu a Semana de Prevenção do Câncer de Mama e Útero e a ampliação do planejamento familiar. Na ocasião, foram triadas 184 mulheres e realizados 87 coleta de citopatólogico e exame das mamas, além do planejamento familiar.

Neste período, as internas também foram acompanhadas pela psicóloga da equipe, que fez a sensibilização para a importância dos exames de prevenção, bem como cuidados para melhorar a autoestima. A abordagem ocorreu em grupos.

Em janeiro foram realizadas no local 147 consultas de clinica médica, 30 de psiquiatra, 84 de enfermagem, 163 de odontologia, 69 de psicologia, além de 56 atendimentos de serviço social e 284 procedimentos de auxiliar de enfermagem, entre outros. No mesmo período também foram aplicados 108 testes de HIV, Sifilis, Hepatite B e C. Todos os resultados negativos.

Celi Gomes