Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
30/06/16 às 17h35 - Atualizado em 30/10/18 às 15h15

Saúde notifica 18.849 moradores de Brasília com suspeita de dengue

COMPARTILHAR

Dos brasilienses, 16.038 são classificados como prováveis infectados

BRASÍLIA 30/06/16 – A Secretaria de Saúde do DF notificou, desde o início do ano, 18.849 moradores de Brasília com suspeita de dengue (doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti). De 19 a 25 de junho, foram 16 ocorrências. Os dados constam do Informativo Epidemiológico nº 26, divulgado nesta quarta-feira (29).

Dos brasilienses, 16.038 são classificados como prováveis infectados (nova nomenclatura da Secretaria de Saúde, recomendada pelo Ministério da Saúde, para se referir aos casos confirmados).

Desse total, 9.206 (57%) estão distribuídos entre as regiões administrativas de Brasília que permanecem com o maior número de casos: Brazlândia (1.921), Ceilândia (1.729), São Sebastião (1.625), Planaltina (1.361), Samambaia (1.291) e Taguatinga (1.279).

Também desde janeiro, 2.334 residentes de outras unidades da Federação deram entrada em hospitais do Distrito Federal com os sintomas.
Segundo o boletim, 82% dos prováveis infectados consultaram a rede pública de saúde do Distrito Federal (13.101); 14%, a rede privada (2.251); 3%, a rede pública de Goiás (532); e 1% não foi classificado (152).

Neste ano, 13 pessoas morreram com dengue. Outras 14 manifestaram a forma grave (hemorrágica) e estão curadas.

ZIKA E CHIKUNGUNYA – O levantamento ainda apresenta ocorrências do zika vírus e da febre chikungunya, também transmitidos pelo Aedes aegypti. A Saúde registrou casos de zika em 172 moradores de Brasília infectados. Desses, 43,6% são de Taguatinga (31), do Plano Piloto (22), de Águas Claras (11) e do Lago Norte (11).

Entre as gestantes, identificaram-se 34 com zika. Dessas, 21 moram no DF e, 13, em outras unidades federativas (12 em Goiás e uma em Mato Grosso). Quatorze mulheres deram à luz no Distrito Federal — nove são moradoras de Brasília e cinco, de Goiás.

Nenhum dos bebês apresentou intercorrência, como a microcefalia — doença em que o cérebro é menor do que o ideal para um recém-nascido. Especialistas estudam a relação da condição neurológica com a transmissão do vírus.

A febre chikungunya foi confirmada em 126 moradores do DF. Ceilândia (18), Taguatinga (16), Samambaia (12), Gama (11) e Plano Piloto (11) estão entre as regiões mais afetadas, com 68 ocorrências.