Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
18/11/13 às 17h44 - Atualizado em 30/10/18 às 15h09

Saúde oferece atendimento integral ao idoso

COMPARTILHAR

Ambulatório de Geriatria do HRGU funciona há 20 anos

O ambulatório especializado em geriatria do Hospital Regional do Guará, (HRGU) atende aproximadamente 120 pacientes por mês. Primeira unidade do Distrito Federal a ser referenciada na SES no atendimento a idosos, o serviço funciona há 20 anos com assistência diferenciada que busca acolher o idoso em suas diversas complexidades.

As consultas são realizadas por uma equipe multidisciplinar. Dependendo do caso o paciente é encaminhado para a psicologia, assistência social, dentista, psiquiatria, cardiologia entre outras áreas.

Dr. Carlos Frattini, geriatra que está no serviço desde a inauguração, destaca que o ambulatório trabalha a prevenção sempre, buscando atender ao paciente de forma global e não apenas numa causa específica que é geralmente a primeira queixa do idoso. “Muitas vezes o que traz o paciente aqui no consultório é uma coisa, mas quando você começa a conversar, percebe que existem outros motivos e possíveis outras causas que chegam a atingir saúde do paciente. Nós tentamos detectar isso também”, afirmou.

A expectativa de vida para esse idoso, segundo Frattini, hoje é de 73 anos – 77 para mulher e 70 para o homem, e as doenças mais frequentes são hipertensão, diabetes, demências e depressão. Frattini tem observado que as pessoas que vivem mais são aquelas que gostam de viver, de trabalhar e que amam a vida, independentemente das circunstâncias.

“O segredo é gostar do que faz, cuidar da vida e de si mesmo. Se alimentar bem, com os alimentos adequados porque às vezes a pessoa pode ter alguma restrição. É preciso respeitar o corpo. Mas, a antiga receita de cereais integrais, folhas e frutas de um modo geral sempre será benéfica”, assegurou. Para o especialista, no caso dos pacientes “normais” que não possuem uma doença preexistente e querem só manter a saúde em dia, a visita ao geriatra é ideal de três em três anos.

Além do atendimento em ambulatório, os idosos do Guará contam com várias atividades. O Núcleo de Atenção Integral à Saúde do Idoso (NAISI) promove reuniões mensais com familiares e cuidadores de pacientes portadores de Alzheimer, grupos de Automassagem, Biodança, atividade física, terapia comunitária entre outras ações temáticas.

Rosângela Lima, chefe desse núcleo, assegura que as ações servem para envolver e reforçar os laços fora de casa também. “Essas atividades voltadas para os idosos são também os reforçadores sociais que nós temos. Além disso, é a promoção da saúde. Com a atividade física e a Biodança, por exemplo, nós conseguimos incentivar isso”, afirmou.

A paciente Maria José Ferreira, 84 anos, mora no Guará e faz o acompanhamento no centro de Saúde. Ela já participou de várias atividades inclusive promovendo a dança cigana em eventos. “Eu sempre fui bem atendida na rede pública de Saúde. Por incrível que pareça, não tenho nada de mal a falar. Eu pego os meus remédios, participo das palestras quando dá e já fiz cirurgias também. Não paro e a dança é a minha paixão”, afirmou.

A Saúde do Idoso foi instituída pelo Ministério da Saúde e é assegurada também pelo Estatuto do Idoso. Ambos preveem atenção integral à saúde do idoso, por intermédio do Sistema Único de Saúde – SUS, com ações e serviços, para a prevenção, promoção, proteção e recuperação da saúde, incluindo a atenção especial às doenças que afetam preferencialmente essa população. Na SES, o serviço foi instituído em 1992 com o NAISI (Núcleo de Atenção Integral à Saúde do Idoso). O universo de atuação é a população maior ou igual a 60 anos. O Núcleo desenvolve atividades de forma descentralizada, buscando a autonomia das regionais de saúde.

Por Érika Bragança, da Agência Saúde DF
Atendimento à imprensa
(61) 3348-2547/2539 e 9862-9226