Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
7/02/14 às 10h20 - Atualizado em 30/10/18 às 15h10

Saúde oferece Terapia Comunitária Integrativa em 22 unidades de saúde

COMPARTILHAR

A prática visa o compartilhamento de experiências

Em 2013, a área de Terapia Comunitária Integrativa (TCI), da Secretaria de Saúde, contabilizou 6.181 pessoas e 481 grupos atendidos. Considerada uma Prática Integrativa em Saúde (PIS), a Terapia busca tratar as doenças do corpo e da alma. Nos encontros, as pessoas compartilham sofrimentos e dificuldades, comemoram vitórias, constroem em conjunto a sensação de pertencimento comunitário. Essa prática é oferecida pela SES/DF em 22 unidades. 

A TCI se desenvolve em grupos com número variado de participantes. “Isso possibilita que, por meio do compartilhamento de experiências, elas se sintam respeitadas, acolhidas, além de estimular a autonomia e a autoaceitação”, afirma o coordenador de TCI da SES/DF, Alexandre Staerke. Os encontros ocorrem em rodadas semanais, conforme a unidade de saúde.

As regras são estabelecidas para deixar o participante à vontade, sem julgamentos, a fim de promover a troca de experiências. Os temas são escolhidos pelo grupo com o desafio de não intervir nas decisões dos participantes, mas fazer com que eles tenham mais perguntas. Há o momento para a pessoa expressar seu sofrimento ou dificuldade, assim como para as outras compartilharem suas experiências, soluções e estratégias sob aquele problema. “O fato de perceber que pessoas vivenciaram situações semelhantes tem um efeito psicológico benéfico, reduz a sensação de solidão e abre espaço para a associação”, diz.

A prática proporciona diversos benefícios. “Sensação de pertencimento comunitário e bem-estar, uma vez que a pessoa descobre que o modo como ela vive e sente não é inadequado, acaba se sentindo inserida nesse grupo. Além disso, possibilita uma tranquilidade emocional psíquica o que, em termos colaterais, interfere em qualquer outra patologia”, comenta.

Alexandre acrescenta ainda que a vantagem da TCI e de outras PIS para o praticante é a construção de uma maior consciência de si e de autocuidado, essenciais para a mudança de comportamento e de estilo de vida. “Há os que descobrem o motivo de estar fumando e o que podem fazer para parar. Essas práticas também possibilitam retirar a pessoa da posição de vítima e fazem com que ela se apodere para lidar com sua própria realidade”, complementa.

A SES/DF realizará a primeira formatura de Terapia Comunitária Integrativa de 38 servidores, nesta sexta-feira (7), às 19h, no auditório da Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde (FEPECS). O curso foi desenvolvido ao longo de 2012 e 2013. “Quando esses servidores foram selecionados, deixamos claro que eles tinham como compromisso a implementação do serviço na rede pública de saúde. Trata-se de uma formação na prática com o respaldo de aprimoramento técnico”, conclui o coordenador.

Os interessados em participar dos encontros da TCI podem procurar uma das 22 unidades de saúde. Confira aqui os locais que oferecem a prática.

Por Patrícia Kavamoto, da Agência Saúde DF
Atendimento à imprensa:
(61) 3348-2547/2539 e 9862-9226