Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
6/01/14 às 18h31 - Atualizado em 30/10/18 às 15h10

Saúde orienta mães sobre hora certa para desmamar o bebê

COMPARTILHAR

Leite materno deve ser o único alimento até os 6 meses de vida


O Banco de Leite de Planaltina oferece orientação individual às mães quanto ao desmame, período em que o bebê deixa de se alimentar com leite materno e passa a receber todos os nutrientes de que precisa por meio de outras fontes alimentares.

A recomendação do Ministério da Saúde, assim como da Organização Mundial da Saúde, é de que a amamentação seja exclusiva até os seis meses de vida e complementar até os dois anos.

Segundo a presidente da Comissão da Iniciativa Hospital Amigo da Criança de Planaltina, Maria do Socorro Aguiar, até os seis meses a função do leite materno é sustentar. Dos seis meses até os dois anos é complementar e depois dos dois anos é opcional. “Após os dois anos a criança pode tomar qualquer leite, exceto o de soja, por causa dos hormônios. Antes dos dois anos, a mãe não amamentando precisar ir ao pediatra para que prescreva o leite adequado para a idade”, diz.

O mais recomendado pelos órgãos especializados é oferecer leite no copinho, que diferentemente da mamadeira, não causa prejuízos a mastigação e a fala. Os pais podem aprender a técnica correta para oferecer o copinho com o pediatra e os profissionais de bancos de leite. O bebê deve ficar sentado para evitar engasgos.

A partir dos seis meses a orientação é que os alimentos sejam fornecidos de forma gradativa e que o preparo, o horário e a conservação sejam observados. “De um jeito gradual, vá apresentando novas comidinhas até que o bebê se alimente de papinhas completas no almoço e no jantar, preparadas com carboidratos, proteínas, verduras e legumes para garantir que ele receba tudo o que precisa para ficar bem nutrido”, informa Maria do Socorro.

Segundo a enfermeira, o desmame vai depender do filho, da mãe e de seu estilo de vida. “o importante é que a decisão seja tomada juntamente com o pediatra para que o processo não interfira na saúde do bebê”, explica.