Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
7/04/14 às 13h59 - Atualizado em 30/10/18 às 15h10

Saúde realiza 1ª Semana de Alergia do DF

COMPARTILHAR

O tema deste ano é a Anafilaxia

A Secretaria de Saúde (SES) promove a 1ª Semana de Alergia do DF. A ação celebra a Semana Mundial de Alergia, que acontece entre os dias 7 e 13 de abril. O tema definido pela World Allergy Organization (WAO) para este ano é a Anafilaxia, reação alérgica grave e potencialmente fatal. Em Brasília, serão realizadas palestras educativas com acesso livre à comunidade. A iniciativa pretende conscientizar a população sobre as doenças alérgicas e orientar o paciente quanto ao controle ambiental.

Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam que cerca de 30% da população mundial tem pelo menos um tipo de alergia. “Com base neste percentual, pode-se projetar que Brasília tenha 750 mil pacientes alérgicos. Dessa forma, queremos explicar como as doenças alérgicas se manifestam, prestar orientações sobre o diagnóstico e o tratamento, durante as palestras”, disse a coordenadora de Alergia e Imunologia da SES/DF, a médica alergista Marta Guidacci.

Os alérgenos são os causadores das alergias. Eles podem ser ambientais (fungos e ácaros); alimentares (leite de vaca, ovo, soja, trigo, frutos do mar, amendoim); insetos (mosquitos, abelhas, vespas, marimbondos e baratas); medicamentos (antibióticos, anti-inflamatórios, contrastes radiológicos) pelos; urina e saliva de cães e gatos; entre outros.

De acordo com a especialista, a alergia pode se manifestar em qualquer parte do corpo. “Se for alergia do trato respiratório, o paciente poderá ter rinossinusite alérgica ou asma; se for nos olhos, o paciente poderá ter conjuntivite alérgica; na pele urticária, angioedema, dermatite atópica ou dermatite de contato e no trato gastrointestinal (alergia alimentar)”, esclarece Marta Guidacci.

O diagnóstico é realizado por história clínica cuidadosa, exame físico e exames complementares como testes de leitura imediata (puntura), testes que avaliam a hipersensibilidade tardia (Teste de Contato ou Patch test) e pelo estudo da imunidade celular (intradérmico).“Primeiramente orientamos o paciente alérgico a evitar o contato com o alérgeno, por meio do controle ambiental. Além disso, há o tratamento com medicamentos e a Imunoterapia (vacina de alergia) quando indicada pelo alergista”, comenta Guidacci.

Orientações para o controle ambiental

1-Evitar ter em casa tapetes, carpetes, cortinas, almofadas, bichos de pelúcia e móveis estofados.
2-Revestir colchões e travesseiros com material sintético impermeável.
3-Usar colcha de algodão, pique ou ededrom.
Não usar cobertores de lã ou chenile.
4-As orientações acima se aplicam às demais camas do quarto.
5-As paredes de casa deverão ter pintura lavável.
6-Limpar a casa diariamente, principalmente os quartos, com pano úmido e aspirador de pó. Não usar vassouras, panos secos e espanadores.
7-Não usar umidificadores e vaporizadores por estimularem o crescimento de ácaros e fungos.
8-Evitar animais de penas e pelos dentro de casa.
9-Não utilizar inseticidas, espirais contra insetos, desodorantes ambientais e outras substâncias com cheiro ativo.
10-Não fumar dentro de casa e nem na presença do paciente.
11-Ter vida ao ar livre e praticar esportes.

Unidades de Alergia e Imunologia na rede pública de saúde do DF

•Hospital de Base (HBDF)
•Hospital da Criança de Brasília (HCB)
•Hospital Materno Infantil de Brasília (HMIB)
•Hospital Regional da Asa Norte (HRAN)
•Hospital Regional de Sobradinho (HRS)
•Hospital do Guará (HRGu)
•Hospital Universitário de Brasília (HUB)
•Policlínica de Taguatinga
•Centro de Saúde 1 do Paranoá
•Centro de Saúde 1 do Recanto das Emas
•Núcleo de Assistência à Família de Brazlândia

 

Programação da 1ª Semana de Alergia do DF

 

Por Patrícia Kavamoto, da Agência Saúde DF
Atendimento à imprensa:

(61) 3348-2547/2539 e 9862-9226