Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
5/05/14 às 20h18 - Atualizado em 30/10/18 às 15h11

Saúde realiza palestra no Dia Mundial de Combate à Asma

COMPARTILHAR

Doença não possui cura, mas pode ser controlada

Na primeira terça-feira do mês de maio, comemora-se o Dia Mundial de Combate à Asma. Em homenagem ao dia, a Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF) realizará, nessa terça-feira (06), uma palestra no Ambulatório de Alergia do Hospital de Base do DF (HBDF). A palestra será ministrada pela coordenadora de alergia e imunologia do DF, Marta Guidacci, às 7h30. Outras palestras serão realizadas até o mês de junho deste ano, com datas e locais a confirmar.

A asma é uma doença inflamatória crônica das vias aéreas do pulmão. A enfermidade ocorre pelo aumento da hiperatividade dos brônquios. O problema pode ser desencadeado por fatores ambientais, medicamentos, exercícios e até pela alimentação (em casos mais raros).

A coordenadora do Programa de Atendimento Asmático do DF (PAPA-DF), Vanessa Tavares, cita os sintomas do paciente com asma. “Tosse (principalmente à noite), falta de ar (dispneia), chiado (som parecido com o miado ou assobio) e aperto no peito são os principais sintomas, que podem aparecer simultaneamente ou isoladamente,” esclarece.

A asma pode ocorrer em diferentes níveis, desde leve e intermitente até grave e persistente. A asma mais comum, segundo Vanessa, é a causada por fatores ambientais (alérgenos). Para evitar desenvolver crises asmáticas, deve-se ficar atento a alguns procedimentos. “Não varrer, evitar móveis estofados e bichos de pelúcia (pois acumulam poeira), deixar a casa sempre ventilada, evitar mofo e plantas naturais dentro de casa, trocar a roupa de cama pelo menos 2 vezes por semana, encapar colchão e travesseiros com capas antialérgicas, tomar a vacina da gripe e evitar o uso de umidificadores. Todos esses procedimentos diminuem a incidência de crises de asma”, comenta.

Em caso de crises asmáticas, o correto é administrar corticoesteroide oral (Prednisolona solução ou Prednisona comprimido – disponível nos centros de saúde e hospitais), associado à inalação de salbutamol spray oral ou nebulização com salbutamol (solução para inalação). A prática de exercícios físicos também deve ser suspensa em casos de crise.

Controle

Apesar de não existir cura para a doença, a SES/DF disponibiliza medicações de uso profilático, ou seja, que evitam crises de asmas repetidas em um curto intervalo de tempo. “O uso adequado das medicações de alívio durante as crises, quando indicado pelo médico: corticosteroide inalatório associado ou não a broncodilatador de longa duração ou antileucotrienos, como tratamento diário e contínuo para evitar crises persistentes”, complementa Vanessa.

Para evitar o agravamento da doença, deve-se seguir a receita médica. Em caso de suspeita de asma, o indicado é procurar a Unidade Básica de Saúde mais próxima para marcar consulta ou ser atendido em casos de crise.

Paulo Cronemberger, da Agência Saúde DF