Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
1/12/14 às 18h38 - Atualizado em 30/10/18 às 15h11

Saúde reduzirá internações em 60% com entrega de novo laboratório

COMPARTILHAR

População ganhará segundo maior laboratório microbiológico do mundo


O Laboratório Central (Lacen), da Secretaria de Saúde do DF, inaugura nesta terça-feira (02), às 9h, a reforma do maior Complexo de Microbiologia Integrada e Automatizada da América Latina que reduzirá o risco de mortalidade por infecção em até 40% e o tempo de internação em até 60%.

“O prazo para emissão de laudos que é de 10 dias passará para 10 horas. O novo espaço possui uma área de dois mil metros quadrados e irá ampliar a capacidade de análises em 100%, além de emitir os resultados de maneira mais rápida”, afirma a secretária de Saúde, Marília Coelho Cunha.

Além do Complexo de Microbiologia, a área reformada contará ainda com um Laboratório de Toxicologia e uma Sala de Coleta. O resultado da análise de bactérias será realizado em apenas um dia, ao invés de uma semana, como é atualmente.

O tratamento das doenças, a identificação e a detecção de surtos hospitalares terão mais agilidade, pois com as novas análises, entre elas tipagem molecular de bactérias e fungos, será possível uma melhor investigação e assim acabar com a transmissão das infecções hospitalares evitando que surtos surjam ou prosperem.

Atividades

O Lacen realiza análises laboratoriais de média e alta complexidade relacionadas às necessidades diagnósticadas no âmbito da Vigilância em Saúde que compreendem as Vigilâncias Epidemiológica, Sanitária, Ambiental e de Saúde do Trabalhador.

O laboratório de Microbiologia Integrada e Automatizada, além do diagnóstico bacteriológico e fúngico de doenças causadas por esses agentes irá também realizar o monitoramento da qualidade de alimentos, da água de consumo humano e ambiental, bem como, da qualidade microbiológica de medicamentos, produtos para saúde, saneantes e detergentes enzimáticos, entre outros produtos utilizados no Sistema Único de Saúde.

Fazem parte da atividade de microbiologia o diagnóstico e controle de mais de 30 doenças transmissíveis, dentre as quais se destacam Aids, tuberculose, meningite, dengue, hepatite, leptospirose, cólera e difteria.

O prédio onde funciona o Laboratório Central abrigava antes o antigo Instituto de Saúde do DF – ISDF, inaugurado em 1978, que passou a ser Lacen no ano 2000. Desde sua construção, o edifício nunca havia passado por reformas.

Referência

O Lacen do Distrito Federal integra a Rede Nacional de Laboratórios de Vigilância Epidemiológica do Ministério da Saúde como Laboratório de Referência Regional (Centro-oeste e parte da região Norte) para coqueluche, dengue, difteria, enteroinfecções bacterianas (salmonelose, febre tifóide e cólera), febre amarela e meningites bacterianas.

A estrutura fica localizada na 601 Norte, atrás do Serpro que se encontra na Via L2 Norte.