Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
25/11/16 às 17h56 - Atualizado em 30/10/18 às 15h16

Secretaria promove II Seminário em Atenção Domiciliar

COMPARTILHAR

Evento discutiu novas experiências e perspectivas para o cuidado no domicílio

BRASÍLIA (25/11/16) – Nesta sexta-feira (25), a Secretaria de Saúde promoveu o II Seminário em Atenção Domiciliar da rede. O evento teve como objetivo discutir as novas experiências e perspectivas para o cuidado no domicílio que têm se acumulado desde a realização do último seminário em 2012.

A ação foi voltada para todos os profissionais que atuam na área, além de estudantes e pessoas interessadas no tema. A programação contou com uma mesa redonda para debater experiências em desospitalização, a partir de referências do serviço público e privado de saúde, como, também, apresentação de projetos elaborados pelos novos especialistas em Atenção Domiciliar da Universidade Aberta do Sistema Único de Saúde (UNASUS).

Entre os presentes, estiveram a coordenadora-geral de Atenção Domiciliar do Ministério da Saúde, Mariana Borges, o subsecretário de Atenção Integral à Saúde, Daniel Seabra e a gerente de Atenção Domiciliar da Secretaria, Maria Leopoldina de Castro.

ATENÇÃO DOMICILIAR NA REDE – O subsecretário de Atenção Integral à Saúde da Secretaria de Saúde, Daniel Seabra, explica que esta especialidade existe na rede há 22 anos e é fundamental para ajudar a pasta na “desospitalização”, que é a viabilização da alta de um paciente do ambiente hospitalar com a promoção de todos os cuidados necessários em domicílio.

“Muitos desses pacientes têm internações prolongadas e geram um custo elevado para o Estado devido à manutenção dos equipamentos hospitalares. Além disso, essa internação pode gerar riscos ao paciente, como infecções. Quando passam a receber atendimento em casa, ganham qualidade de vida, pois estão cercados da família e providos de assistência domiciliar e, consequentemente, gerando um custo muito mais baixo”, ressalta Daniel.

Podem receber estes cuidados os pacientes que possuam um nível de complexidade que não necessitem de um aparato hospitalar, mas precisam de cuidados avançados a serem realizados por equipe multiprofissional, composta por médico, enfermeiro e técnico de enfermagem, psicólogo, nutricionista, terapeuta ocupacional, farmacêutico e fisioterapeuta.

Segundo a gerente de Atenção Domiciliar da Secretaria, Maria Leopoldina de Castro, atualmente existem, na Secretaria, 13 equipes multiprofissionais que fazem parte do Programa Melhor em Casa, criado pelo Ministério da Saúde em setembro de 2013. “Essas equipes atendem cerca de 700 pessoas que, hoje, necessitam da Atenção Domiciliar disponibilizada pela rede”, conta.

PARCERIA – De acordo com a coordenadora-geral de Atenção Domiciliar do Ministério da Saúde, Mariana Borges, no Distrito Federal, a atenção domiciliar já existe desde antes da criação do Programa Melhor em casa” que serve de fonte de financiamento.

“Queremos aprimorar ainda mais nossa parceria aqui na capital, para que as equipes multiprofissionais que compõem os cuidados oferecidos nesta especialidade possam estar aptas e atentas às necessidades da população, além de expandir as ações que já existem de acordo com as possibilidades.

Veja as fotos aqui