Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
15/03/19 às 8h46 - Atualizado em 15/03/19 às 9h09

Serviço de Verificação de Óbito fez remoção de 178 corpos

COMPARTILHAR

 

Desde 26 de janeiro também foram feitas 65 necropsias

 

O Serviço de Verificação de Óbito (SVO) da Secretaria de Saúde atingiu a marca de 178 corpos recolhidos e 65 necropsias realizadas, desde que entrou em funcionamento, em 26 de janeiro. Até então, a remoção de corpos que tiveram morte natural era feita pela Polícia Civil, por meio de um Acordo de Cooperação Mútua.

 

De acordo com a chefe do serviço, Aurea Cherulli, mesmo com pouco mais de um mês em funcionamento, há um esforço contínuo para ampliar o atendimento do SVO. Entre os exemplos estão o reforço das equipes com mais médicos e motoristas, e a aquisição de novas viaturas.

 

“A nossa frota de carros, provavelmente, deve aumentar ainda este ano. Devemos receber mais duas viaturas. Assim, vamos poder fazer mais rotas de remoção de corpos”, afirma Cherulli.

 

O serviço funciona 24 horas por dia, com equipes formadas por técnico de laboratório, médico, motorista e servidor administrativo. “Trabalhamos ininterruptamente na remoção. No início, tínhamos só três médicos. Hoje, temos cinco, mas a equipe tende a crescer à medida em que o serviço fique mais conhecido. A ideia é podermos, pelo menos, colocar dois por plantão”, informa a chefe do SVO.

 

FLUXO – Em caso de óbito, o cidadão deve, primeiramente, contatar a delegacia de polícia da sua região, para fazer o registro da ocorrência. Os policiais responsáveis entrarão em contato com o SVO, que se deslocará da sua sede, no Hospital Regional de Ceilândia (HRC), até o local do ocorrido, para fazer a remoção do corpo.

 

A equipe da Secretaria de Saúde, no momento da remoção, dará orientações aos familiares sobre os procedimentos a serem adotados, entre eles, o comparecimento ao SVO para recebimento de exames do corpo e a autorização de necropsia, por exemplo. Para isso, é necessário agendamento prévio pelos telefones 33713544 e 992499367.

 

Leandro Cipriano, da Agência Saúde
Foto: Breno Esaki/Saúde-DF

Arte: Rafael Ottoni