Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
15/05/19 às 10h20 - Atualizado em 15/05/19 às 10h25

Servidores da Saúde receberão formação em Libras

COMPARTILHAR

 

 

Iniciativa é resultado de uma parceria com o Instituto Federal de Brasília

 

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal firmou, nesta terça-feira (14), uma parceria com o Instituto Federal de Brasília (IFB) para formar os servidores da pasta na Língua Brasileira de Sinais (Libras). Foram estipuladas, inicialmente, 30 vagas para os profissionais de unidades de saúde que trabalham no atendimento ao público.

 

“A ideia é ter servidores de cada unidade com essa formação, pois existe uma demanda de pessoas com dificuldade de atendimento, que se comunicam apenas em Libras. Então, faremos a seleção desses 30, que podem ser multiplicadores, mas queremos que outros também sejam formados”, explicou a diretora de Desenvolvimento Estratégico de Pessoas da Secretaria de Saúde, Diluana Oliveira.

 

OBRIGATORIEDADE – A formação é uma exigência da Lei n° 6.300/2019, sancionada recentemente pelo Governo do Distrito Federal (GDF). A norma assegura a possibilidade de disponibilizar profissionais aptos a se comunicar em Libras nas unidades e nos órgãos da rede pública de saúde para prestar atendimento à população. A lei é válida para os hospitais, hemocentros, farmácias, Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), Centros de Atenção Psicossocial (Caps) e Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

 

De acordo com a técnica administrativa da Gerência de Educação em Saúde, Danyella de Jesus, tendo em vista a legislação publicada, há uma necessidade de procurar por mais parcerias com outras instituições e formar ainda mais servidores da Saúde em Libras. “Estamos tentando também com outras escolas, como Egov, UnB e Enap”, destacou.

 

No caso do IFB, em contrapartida à formação em Libras, o instituto será orientado pela Secretaria quanto a um trabalho de saúde preventiva, além de ser desenvolvida uma rede de apoio psicológico e psiquiátrico aos estudantes.

 

Leandro Cipriano, da Agência Saúde

Foto: Breno Esaki/Saúde-DF e Divulgação

Arte: Rafael Ottoni/Saúde-DF