Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
7/06/13 às 19h41 - Atualizado em 30/10/18 às 15h06

SES inaugura Centro Integrado das Ações de Saúde

COMPARTILHAR

Monitoramento de situações de crise em grandes eventos

Foto: Renato Araújo

O Centro Integrado das Ações de Saúde (Cias) foi inaugurado nesta sexta-feira, 7, no Laboratório Central do Distrito Federal (Lancen), na Asa Norte. O espaço foi projetado para monitorar situações de crise relacionadas principalmente a realização de eventos de massa na cidade.

“O centro integrado é um instrumento de gestão que permitirá a tomada de decisões de forma ágil em situações de emergência, uma vez que reúne diversos setores da Secretaria de Saúde”, destaca o secretário de Saúde, Rafael Barbosa.

Eventos como a Copa das Confederações e a Copa do Mundo de 2014, segundo o secretário, demandam uma preparação por parte dos gestores com o objetivo de se evitar que a aglomeração e a circulação de pessoas sejam ambiente para a disseminação de doenças infecciosas, além dos riscos de traumas e acidentes e intoxicações alimentares.

O Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde -Cievs), o Centro de Informações Toxicológicas (CIT), o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), a regulação de consultas e leitos de UTI, a Defesa Civil, além de outros parceiros da saúde terão representantes no Cias.

A sala faz o monitoramento diário dos indicadores epidemiológicos, sanitários e ambientais, assistenciais e de gestão e serviço; o fortalecimento da capacidade de resposta da Vigilância Sanitária; a integração com outras áreas da saúde, principalmente com a Epidemiologia, além de aprimorar a Comunicação de Risco e o Gerenciamento de Risco para os grandes eventos (serviços de saúde, alimentos e laboratório).

Outro aspecto que merece destaque é a localização do Centro. “A sala foi construída estrategicamente dentro do Lacen-DF, na área central da cidade. O CIT e o Cievs, que funcionam 24 horas, possuem profissionais capacitados para responder de forma ágil às possíveis emergências”, explica a subsecretária de Vigilância à Saúde, Marília Coelho. Após a Copa do Mundo, o centro integrado continuará funcionando.

Celi Gomes