Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
7/06/13 às 13h07 - Atualizado em 30/10/18 às 15h06

SES teve três trabalhos selecionados pelo Ministério da Saúde

COMPARTILHAR

Das seis experiências enviadas, três foram bem sucedidas

A Secretária de Saúde do Distrito Federal (SES/DF) teve três trabalhos selecionados pelo Ministério da Saúde, por meio do Grupo de Trabalho do Laboratório de Inovação em Atenção Domiciliar, que em Abril lançou o chamamento público para identificar e valorizar experiências e práticas bem sucedidas no SUS. Foram enviadas pela SES/DF seis experiências. Dessas, três tiveram êxito.

O Grupo de Trabalho (GT) do Laboratório de Inovação em Atenção Domiciliar analisou todas as experiências inscritas e a partir de critérios técnicos de avaliação, selecionou três trabalhos da SES/DF, sendo que as duas primeiras tiveram Conceito A. São elas: Prontuário Domiciliar, Matriciamento Pediátrico na AD do Distrito Federal e Pactuação de Fluxos das equipes de AD com os pontos de atenção.

Foram inscritas 66 experiências provenientes de secretarias municipais e estaduais, universidades, hospitais públicos e organizações sociais de saúde. “A riqueza das informações contidas nas experiências inscritas permitirá a identificação de fragilidades e fortalezas do serviço”, espera a coordenadora do Laboratório de Inovação, Maria Helena Brandão.

A etapa seguinte do Laboratório de Inovação será uma oficina de trabalho na Organização Pan-Americana de Saúde – OPAS em Brasília, no dia 28 de junho, na qual as 10 instituições responsáveis pelos trabalhos selecionados farão uma exposição detalhada sobre as respectivas experiências, seguida de debate. Além dos trabalhos que serão debatidos na oficina, outras 23 experiências serão divulgadas no Portal da Inovação (www.inovacaoemsaude.org).

Posteriormente à oficina, estão previstas visitas técnicas aos locais onde se desenvolvem as experiências selecionadas, que acontecerão de julho a outubro deste ano; a publicação de relatos das experiências no Portal da Inovação; a publicação de um novo volume da Série NavegadorSUS; e um seminário nacional para debater os resultados finais do Laboratório.

“O Laboratório cumpre o papel de conhecer e reconhecer e sistematizar experiências concretas em Atenção Domiciliar no Brasil. Estamos aprendendo com elas e vamos socializar esse aprendizado.”, comemora o coordenador geral de Atenção Domiciliar do Ministério da Saúde, Aristides de Oliveira.

Jaqueline Chaves