Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
16/03/18 às 21h11 - Atualizado em 30/10/18 às 15h19

Sexta-feira é dia de música erudita e popular no jardim do Hran

COMPARTILHAR

Apresentação misturou contrabaixo e sanfona

BRASÍLIA (16/3/18) – O Jardim Central do Hospital Regional da Asa Norte (Hran) ganhou um tom diferente na tarde desta sexta-feira (16). Uma mistura inusitada de sanfona com contrabaixo levou aos pacientes, servidores e visitantes da unidade o tango argentino, o forró de Luiz Gonzaga e até músicas infantis. O projeto é uma parceria entre o hospital e a professora da Escola de Música de Brasília, Moema Craveiro Campos, e o músico francês Antoine Espagno.

baixas pacientes janela

Timidamente os pacientes foram aparecendo nas janelas dos andares, no corrimão próximo ao jardim central, filmando a apresentação e até cantarolando. Teve até quem não se conteve em assistir do alto e foi ver e ouvir de pertinho.

“Os músicos são maravilhosos. Trazem leveza para a alma de quem está aqui dentro”, elogia o aposentado Edilson Fernando do Nascimento, internado há três meses na unidade em razão de problemas renais.

baixa edilson

A pequena Ivia, de três anos, também se encantou com a música, que ouviu da ala da pediatria, onde está internada por conta de uma infecção urinária. 

A curiosidade levou a menina e a vovó, Maria de Lourdes, para o Jardim Central. Na hora em que ela chegou, os músicos a agradaram com “o cravo brigou com a rosa” e “atirei o pau no gato”.

baixa lourdes

Os servidores foram os que mais marcaram presença. Encostados no corrimão ou sentados nos banquinhos, eram só sorrisos. Até quem estava de folga parou para ver, como o técnico de enfermagem Reinaldo Chaves.

“Vim só resolver uma questão aqui no hospital, mas como adoro música, resolvi parar para ouvir o som, que está muito bom”, disse, ao ressaltar que eventos assim ajudam a dar um tratamento mais humanizado para os pacientes.

CULTURA – O diretor do Hran, José Adorno, diz que há uma intenção da unidade em oferecer, toda sexta-feira, uma atividade cultural no jardim. “Traz leveza para o final de uma semana, ajuda a alegrar os pacientes”, destacou.

baixa sanfoneira

A primeira apresentação ficou a cargo de Moema Craveiro e Antoine, músicos que se encontraram pela vida e resolveram ensaiar desde música erudita até o som mais popular. Assim, saírem se apresentando em locais como asilos e hospitais. Na rede pública de saúde do DF, já passaram pelos hospitais Universitário de Brasília e o da Criança.

“Sou professora de piano e desde criança sempre gostei de tocar sanfona. Como é bem mais fácil de carregar, resolvi leva-la para apresentações. Não há quem não goste do som que ela faz, não é?”, disse Moema, frisando que o repertório é escolhido de modo a atrair o público.

Para o francês Antoine Espagno, o projeto apresentado nesta sexta no Hran é um sonho sendo realizado. “Foi algo que pensamos durante todo o ano de 2017 e gostaríamos de nos apresentar aqui com frequência. Adorei esse jardim”, disse.

Confira a galeria de fotos.