Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
29/05/14 às 17h54 - Atualizado em 30/10/18 às 15h11

Taguatinga inaugura três serviços especializados

COMPARTILHAR

Biópsia prostática, infusão de medicamentos no HRT e atendimento odontológico na UBS do Areal

A Coordenação Geral de Saúde de Taguatinga inaugura, nesta sexta-feira (30), três serviços que trarão melhorias no atendimento oferecido aos pacientes assim como mais qualidade de vida à população que é atendida na região. A novidade compreende a instalação das Salas de Procedimentos Urológicos do HRT, de Infusão de Imunobiológicos em Reumatologia, e da Unidade de Odontologia da Unidade Básica de Saúde (UBS) do Areal.

Segundo o coordenador-geral de Saúde de Taguatinga, Otávio Augusto Siqueira, a criação das salas contribuirá para a qualidade de vida da população, pois facilitará o acesso aos serviços de saúde. “Estamos investindo continuamente nos serviços da Regional de Taguatinga com o propósito de oferecer à população mais qualidade e eficiência no atendimento à saúde”, destaca o coordenador.

O evento de inauguração será às 16h, no Hospital de Taguatinga. Na ocasião, serão descerradas placas que marcam o início das atividades na instituição. A programação faz parte da agenda do Programa GDF Junto de Você.

Saúde do homem

Com a criação da Sala de Procedimentos Urológicos, o Hospital de Taguatinga será o primeiro da rede pública de saúde do DF a realizar o serviço de biópsia prostática com sedação. Ao oferecer esse exame, a clínica de Urologia do HRT dará um grande passo na prevenção do câncer de próstata. Segundo o urologista Marcos Tadeu Valbuena, o intuito é diagnosticar precocemente o câncer de próstata nos pacientes que estão inseridos no grupo com fatores de risco.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Urologia, a idade para realização do exame de próstata é de 45 anos para homens negros e aqueles com histórico familiar da doença, e 50 anos para os demais. “O câncer de próstata é uma doença silenciosa, sem sintomas, por isso é importante o acompanhamento anual”, explica Valbuena.

A partir dos 50 anos, todo homem deve ser submetido ao exame físico (toque retal) e laboratorial (dosagem do hormônio PSA por meio do sangue). Caso algum desses dois exames esteja alterado, faz-se necessária a realização da biópsia. “Somente com a biópsia podemos detectar se há um tumor e se ele é maligno”, ressalta Valbuena. O especialista afirma que é a partir do resultado desse exame que se diagnostica a doença e é determinado o tratamento adequado.

A biópsia é feita com anestesia local e o paciente é sedado durante o procedimento.

Como funciona

A equipe da Unidade de Clínica Cirúrgica do HRT conta com sete urologistas, sete enfermeiros e 28 auxiliares de Enfermagem. Mensalmente são feitos cerca de 20 pedidos de biópsia.

A marcação da consulta em Urologia deve ser feita com encaminhamento dos clínicos gerais que atendem nos Centros de Saúde. No próprio centro, o paciente entregará o encaminhamento para consulta em Urologia para agendar a consulta. Somente após o atendimento com o médico urologista é que será identificada a necessidade de realização da biópsia.

O exame deve ser marcado no setor de matrícula, que fica no ambulatório do HRT. Vale ressaltar que o público beneficiado será o dos usuários atendidos na Região Sudoeste, que compreende as Regionais de Taguatinga, Samambaia e Recanto das Emas.

Terapia imunobiológica

Outra novidade na Regional de Taguatinga é a criação da Sala de Infusão de Imunobiológicos em Reumatologia. O HRT é o segundo hospital da rede pública de saúde do DF a oferecer o serviço que visa fornecer um tratamento mais complexo às doenças reumatológicas autoimunes. Trata-se de um procedimento moderno no combate às enfermidades inflamatórias crônicas como artrite reumatoide, lúpus, espondiloartropatias, vasculites e miosites.

De acordo com a reumatologista Tânia Maria Liete Antunes de Oliveira, oferecer um serviço desse porte é uma grande conquista para o HRT, pois vai melhorar a qualidade do tratamento médico dispensado ao paciente. “Vamos descentralizar o serviço que antes era feito apenas no HBDF, diminuir o número de internações para esse procedimento e proporcionar ao paciente mais qualidade no tratamento”, garante. A especialista informa, ainda, que além do paciente não ter que se deslocar para longe de sua residência, os médicos vão poder acompanhar de perto e monitorar seus próprios pacientes.

Inicialmente, a sala funcionará dentro da Unidade de Oncologia do Hospital e atenderá 32 pacientes ao mês. À medida que a demanda for aumentando, a quantidade de infusões será ampliada. O tratamento será oferecido aos usuários que estiverem em acompanhamento com os médicos reumatologistas do HRT.

Entenda o tratamento

A terapia imunobiológica é o tratamento com infusão sanguínea de medicamentos biológicos (obtidos por engenharia genética) que atuam no organismo diretamente no processo inflamatório. A infusão dura de uma a duas horas e o paciente recebe alta logo após o procedimento.

A medicação biológica somente é indicada para aqueles pacientes que não apresentaram resultados com a terapia convencional. Ela só pode ser receitada sob determinadas condições. “Os protocolos para prescrição desses medicamentos são bem rigorosos e as indicações devem ser bastante precisas”, assegura a especialista.

Dentista mais próximo de casa

Com a criação da Unidade de Odontologia do Programa Saúde da Família do Areal, cerca de 3.500 moradores das quadras QS 8, 10 e 11 de Taguatinga Sul terão atendimento odontológico na Atenção Primária. Na Unidade, serão realizados procedimentos simples como limpezas e raspagens, restaurações, extrações simples de dentes, além de todo o trabalho de prevenção e orientação. A equipe da UBS contará com cirurgião dentista, enfermeiro e técnico em saúde bucal e serão atendidos, em média, 160 pacientes ao mês.

Já os casos mais complexos serão encaminhamos aos Centros de Especialidades Odontológicas, que funcionam no HRT e na Unidade Mista de Saúde Taguatinga. Segundo o coordenador da Unidade de Odontologia do HRT, Wagner Reis, as unidades básicas de saúde são a porta de entrada para receber atendimento com dentista. “Uma atenção básica fortalecida diminui a demanda da atenção especializada. Agindo precocemente, os problemas dentários podem ser resolvidos com procedimentos e materiais mais simples, assim como os custos são menores. Se uma cárie é cuidada rapidamente, poderemos evitar um canal”, esclarece Reis.

Suemer Mariz, da Agência Saúde DF