Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
22/03/21 às 17h28 - Atualizado em 23/03/21 às 13h21

Tempo de espera por cateterismo e angioplastia tem redução na rede pública

COMPARTILHAR
Houve diminuição na demanda reprimida após aumento na oferta desses procedimentos

GUILHERME PEREIRA, DA AGÊNCIA SAÚDE-DF

 

A rede pública de Saúde do Distrito Federal conseguiu reduzir a fila de espera por cateterismo e angioplastia coronariana. Em dezembro de 2020, havia 1.192 pacientes aguardando por cateterismo e 80 aguardando por uma angioplastia. Hoje, a demanda reprimida está em 467 e 44 pessoas aguardando pelos procedimentos, respectivamente.

 

Para todo o mês de fevereiro, foram agendados pela Central de Regulação Ambulatorial (Cera) 238 pacientes para fazer o cateterismo e 35 para angioplastia. O gerente de Regulação Ambulatorial, Hamilton José da Silveira Júnior, esclarece que a redução nos índices ocorreu graças a um aumento na oferta desses procedimentos no Hospital Universitário (HUB), que tem contrato com a Secretaria de Saúde, e também com a melhoria na performance de algumas unidades, como o Hospital de Base.

 

“É extremamente importante que o paciente tenha a garantia de atendimento, especialmente aqueles com doenças cardíacas, oncológicas e transplantados, ou candidatos a transplantes. Para isso trabalhamos para que eles tenham na rede pública toda celeridade possível no atendimento”, explica Hamilton.

 

A tendência na queda na fila para procedimentos pode ser observada na arte a seguir:

 

 

Cirurgias eletivas

 

No momento, as cirurgias eletivas estão suspensas na rede de saúde como forma de ampliar a oferta de leitos de UTI e UCI disponíveis à população, em um momento em que o DF atravessa um novo pico da pandemia. Hamilton da Silveira esclarece que, até o momento, não há perspectiva de paralisação ou mesmo de redução desses procedimentos, o que pode significar uma redução ainda maior nas filas de espera.

 

“Não há nenhuma sinalização de que os procedimentos sejam paralisados. Como os procedimentos de cirurgias cardíacas, oncológicas e os transplantes permanecem funcionando e muitos pacientes necessitam realizar o cateterismo, por exemplo, para fazer algumas cirurgias, não há essa sinalização. Os esforços continuam”, afirma.

Atualmente, o paciente internado tem seu exame agendado para até 72 horas após o pedido.

 

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: