Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
23/02/18 às 18h43 - Atualizado em 9/04/18 às 18h11

Tuberculose

COMPARTILHAR

A tuberculose (TB) continua a merecer especial atenção dos profissionais de saúde e da sociedade como um todo, considerando a grande magnitude, transcendência e vulnerabilidade da doença. Anualmente são notificados cerca de 6 milhões de novos casos em todo o mundo, levando mais de um milhão de pessoas a óbito. No Brasil, a doença ainda é um sério problema da saúde pública reconhecido pelo governo brasileiro e para combater esse mal, o Programa Nacional de Controle da Tuberculose (PNCT) está integrado na rede de Serviços de Saúde.

 

A doença, com profundas raízes sociais, está intimamente ligada à pobreza e a má distribuição de renda, além do estigma que implica na não adesão dos portadores e/ou familiares/contactantes. Ela é infecciosa e transmissível que afeta prioritariamente os pulmões. Pode acometer órgãos como rins, ossos, meninges, etc. Mas, a tuberculose é curável. Pessoas que tossem há mais de três semanas devem procurar o atendimento, que também está disponível nas demais regionais do Distrito Federal.

 

A Vigilância Epidemiológica trabalha para monitorar a situação e a tendência da doença para recomendar, executar e avaliar as atividades de controle. Já a Atenção Básica tem objetivo de consolidar as ações do Programa Nacional de Controle da Tuberculose, oferecendo o tratamento nas unidades de saúde incluindo a estratégia do Programa Saúde da Família (PSF) e Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS). O principal objetivo é prevenir o adoecimento por TB nos infectados e não infectados.


Boletim Epidemiológico

 

2017

Informativo Epidemiológico de Tuberculose – n°01 – dezembro/2017

 

2016

Informativo Epidemiológico de Tuberculose – nº 02 – Julho/2016

Informativo Epidemiológico de Tuberculose – n°01 – março/2016


Responsável:

Contato: 3323-9492
Endereço:
Email: divepdf@gmail.com