Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
11/09/20 às 19h10 - Atualizado em 16/09/20 às 15h13

UBS 1 da Asa Norte faz atividade para despertar o cuidado com a saúde mental

COMPARTILHAR

Atividade fez parte da campanha Setembro Amarelo

 

JOSIANE CANTERLE, DA AGÊNCIA SAÚDE DF

 

Alguns temas mais delicados demandam um trabalho mais cuidadoso para com o paciente e é importante estar capacitado para ouvir o que o usuário do Sistema Único de Saúde quer dizer e identificar não somente os sintomas físicos, mas também os psicológicos. Visando essa demanda, a Unidade Básica de Saúde 1 da Asa Norte promoveu um momento de formação e motivação para os servidores a fim de reforçar o valor da escuta atenta dos pacientes.

 

Foto: Divulgação/SES-DF

“Foi um evento para alertar sobre prestar maior atenção na escuta de maneira mais atenta e na observação de pacientes e usuários que procuram a UBS, em especial aqueles que apresentam histórico ou sinais e evidências de ideação suicida. Esse momento foi pensado em consideração ao 10 de setembro que foi o dia mundial de prevenção ao suicídio, simbolizado pelo Setembro amarelo”, explicou a gerente da unidade, Flávia Lemes Costa. Nessa data, os servidores foram incentivados a usar roupas na cor amarela.

 

Uma das dinâmicas realizadas foi de os servidores escreverem palavras de apoio e de desencorajamento aos pensamentos suicidas. Essa e outras atividades visaram proporcionar motivação e maior envolvimento com o tema que é de grande relevância para saúde pública. “Dessa forma mais lúdica despertamos para a reflexão de que cada profissional pode fazer a diferença na vida de um usuário se estiver atento às percepções de qualquer sinal evidenciado no momento oportuno de um atendimento, consulta ou procura por qualquer serviço ofertado pela unidade básica de saúde da família”, avalia a gestora.

 

Os pacientes que buscaram atendimento na unidade no último dia 10 de setembro encontraram balões amarelos junto ao balcão de atendimento com dizeres como “você não está sozinho” , “acolhimento” , “cuidado”, “compreensão”, entre outras palavras de empatia para com o sofrimento do outro.

 

EDIÇÃO: JOHNNY BRAGA

REVISÃO: JULIANA SAMPAIO