Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
13/03/19 às 10h13 - Atualizado em 13/03/19 às 10h16

Uso constante de telas causa danos à saúde dos olhos

COMPARTILHAR

 

Passar a maior parte do dia com os olhos vidrados em telas de celulares, computadores, TVs e outros aparelhos eletrônicos tem se tornado um hábito corriqueiro de crianças, jovens, adultos e idosos, no atual cenário das novas tecnologias. Porém, muitos deles se esquecem de que esse novo costume pode trazer danos à visão.

 

Já se sabe que os distúrbios de visão atingem pelo menos 50 milhões de pessoas no Brasil, segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS). Desse total, 60% dos casos estão relacionados a cegueira e deficiência visual em função da síndrome da visão (CSV, na sigla em inglês), um problema relacionado ao uso prolongado de computador, smartphone, televisão e tablete, provocando vermelhidão e queimação nos olhos, e dor de cabeça, entre outras situações.

 

“Sabemos que a principal relação que existe, hoje, é que crianças que usam muito aparelhos eletrônicos ficam longos períodos dentro de casa e, portanto, não fazem atividades externas, em ambiente aberto, para exercitar a visão para longe. Com isso, o hábito pode causar, indiretamente, o aumento da incidência de miopia”, avaliou o oftalmologista da Secretaria de Saúde do DF, Cassiano Rodrigues Isaac.

 

A miopia é um erro de refração, em que a imagem focaliza antes de chegar à retina, causando dificuldades para a pessoa enxergar à distância. Franzir a testa e apertar os olhos são sinais comuns em pacientes míopes não corrigidos.

 

SINTOMAS – Segundo o oftalmologista, há diversos estudos sobre a relação direta entre o constante uso de telas que emitem luz artificial continuamente e os prejuízos visuais, mas ainda são inconclusivos. Apesar disso, ele ressaltou que existem outros problemas causados pelo hábito, como o cansaço da visão e a secura dos olhos, que atingem mais os idosos.

 

Os sintomas também podem incluir dores de cabeça e ocorrem devido à concentração do usuário na tela, o que faz com que fixe muito os olhos e deixe de piscar, movimento que contribui para lubrificar a córnea.

 

A sugestão do profissional é que as pessoas intercalem o uso das telas com visão para longe, em atividades ao ar livre, e use lubrificantes oculares. Ter uma boa noite de sono também contribui para combater os sintomas, já que ajuda os olhos a descansar.

 

“Em caso de sintoma de cansaço excessivo, baixa visão ou olho seco, é necessário procurar a Unidades Básicas de Saúde para agendar uma consulta com o oftalmologista e passar por uma avaliação”, orientou.

 

Entre os principais desconfortos que afetam quem não desgruda os olhos do monitor estão, ainda, visão embaçada, sensibilidade à luz, irritação e lacrimejamento.

 

Ailane Silva, da Agência Saúde

Foto: Tony Winston/Arquivo-Agência Brasília