Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
9/07/13 às 13h50 - Atualizado em 30/10/18 às 15h06

Usuários da Saúde já contam com serviço de informação

COMPARTILHAR

Recepcionistas têm a função de orientar e encaminhar os usuários do SUS aos serviços de saúde

As 519 recepcionistas contratadas pela Secretaria de Saúde do Distrito Federal começaram a trabalhar nesta segunda-feira (8), em toda rede pública. Elas foram distribuídas nas regionais, postos, centros de saúde e administração central com a função de recepcionar, informar, orientar e encaminhar os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) aos serviços de saúde.

A Regional de Saúde da Asa Norte recebeu 32 novas recepcionistas sendo que 18 delas atuarão no Hran e 14 serão distribuídas nos centros de saúde e Centro de Atenção Psicossocial (Caps).

De acordo com o coordenador geral de Saúde da Asa Norte, Valdir Nunes, “nós que trabalhamos na área de saúde prestamos um atendimento especial aos pacientes. Normalmente quando a pessoa procura uma unidade de saúde, ela, na maioria das vezes, já está fragilizada e sensível por estar adoecida. Portanto, as pessoas nessas condições precisam de um atendimento diferenciado e humanizado”.

O Hospital de Base já conta com 30 recepcionistas que prestarão serviços de informações gerais, orientações, colhimento de dados e identificação de usuários. O trabalho delas foi dividido, 15 recepcionistas atenderão nos dias pares e o outro grupo de 15, nos dias impares.

Elas realizarão a recepção nas portarias do ambulatório, na portaria central (2 postos), no pronto socorro, na DDI ( Setor de Prontuários e Documentação), na Ortopedia, no Bloco de Procedimentos Especiais e na UTI Neurotrauma.

A Coordenação Geral de Saúde da Candangolândia, Núcleo Bandeirante, Riacho Fundo I e II e Park Way (CNBPWRF), além do Instituto de Saúde Mental (ISM), receberam juntos 27 recepcionistas.

Entre outras atividades da recepcionista estão o atendimento telefônico com repasse de informações e orientação ao público em geral, notificação às equipes de segurança relativa à presença de estranhos dentro das unidades de saúde, solicitação da identificação tanto dos servidores como dos usuários e fiscalização da entrada e saída de materiais.

A estudante de Recursos Humanos, Pamella Cristina Brandão, lotada na CNBPWRF gostou muito de ter sido contratada para função. “Estava desempregada há dois anos e essa função além de me dar condições financeiras de concluir meu curso, é uma oportunidade de ganhar experiência profissional”.

As regionais de Saúde do Gama receberam 36 recepcionistas, a de Santa Maria 26 e a de Sobradinho 24.

Para a chefe do Núcleo de Atividades Gerais do Hospital de Sobradinho (HRS), Ana Maria Barros, a chegada das recepcionistas influenciará diretamente em um melhor acolhimento dos pacientes.

O usuário da Regional de Saúde de Santa Maria, Manuel Gerlande gostou da novidade. “O serviço das recepcionistas vai contribuir bastante, uma vez que os pacientes terão informações do atendimento durante o tempo de espera”, diz Manuel.

Júlio Duarte