Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
31/07/15 às 16h10 - Atualizado em 30/10/18 às 15h12

Aberta Semana Mundial do Aleitamento Materno no Distrito Federal

COMPARTILHAR

Programação ocorre de 31/7 a 15/8; sábado terá “Mamaço” na Asa Norte

BRASÍLIA (31/7/15) – O Distrito Federal se antecipou e abriu, nesta sexta-feira (31), as comemorações da Semana Mundial do Aleitamento Materno (SMAM), que é celebrada em mais de 170 países de 1º a 7 de agosto. A unidade da federação também estende até o dia 15 de agosto a programação que contará com ações em todas as regionais de Saúde. O slogan é “Amamentação e Trabalho: para dar certo o compromisso é de todos” e o lançamento ocorreu no Auditório da Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde (Fepecs).

“O Distrito Federal ampliou a data para intensificar a divulgação sobre a importância da amamentação com foco na mulher trabalhadora que amamenta. Sabemos que muitas mães deixam de oferecer o leite para seus filhos ao retornar ao trabalho, mas elas podem buscar orientações sobre como não interromper essa alimentação tão relevante com as equipes das unidades básicas de saúde da secretaria”, destacou a coordenadora dos Bancos de Leite do DF, Miriam Santos, durante a abertura das atividades.

“Hoje, as mulheres exercem 40% da força de trabalho do país. Isso representa uma mudança significativa na sociedade em que a mulher deve ser tratada de maneira diferente, já que ela passou a ser trabalhadora e precisa cuidar dos seus filhos”, reforçou a coordenara de Aleitamento do Ministério da Saúde, Fernanda Monteiro.

A nutricionista Aline de Aquino Barbosa, 34 anos, é mãe de Letícia. Embora sua filha já tenha 8 meses, Aline não deixou de oferecer leite para a bebê. “É difícil trabalhar e ser mãe ao mesmo tempo, por isso, precisamos do apoio da família e dos colegas do trabalho. Às vezes, temos que deixar um pouco o trabalho para extrair o leite até para não parar a produção “, conta.

O subsecretário de Atenção Primária, Berardo Augusto, lembrou que Brasília é considera a Capital Nacional dos Bancos de Leites. “O DF se tornou autossuficiente em leite materno. Também temos 10 hospitais credenciados pelo Ministério da Saúde com Padrão Ouro. Precisamos comemorar e fortalecer nossa rede”, destacou.

PROGRAMAÇÃO – Para este sábado (1º), já está marcado um grande “Mamaço”, na quadra 412 norte, às 15h, promovido em parceria com a ONG Aleitamento Materno Solidário (AMS). Várias mães se reunirão para amamentar seus filhos e para chamar a atenção da sociedade de que esse ato é natural e importante para o desenvolvimento da criança.

O ato se repetirá simultaneamente em todo o Brasil, no dia 6 de agosto. Em Brasília, será na Praça dos Três Poderes, às 17h, em parceria com a Rede Internacional em Defesa do Direito de Amamentar (IBFAN Brasil).

Para celebrar a data, o Ministério da Saúde também certificará, por meio da Estratégia Amamenta e Alimenta Brasil, quatro equipes da Estratégia Saúde da Família (ESF) de Samambaia. Outros cinco títulos já foram conferidos ao Distrito Federal.

Uma nova sala de apoio a amamentação será inaugurada no dia 18 de agosto, na sede do Banco Central (BC). A partir de 1º de agosto, o BRB lançará uma campanha nas agências bancárias e conveniências, com cartazes para conscientizar a população sobre as vantagens do aleitamento materno. (Confira a programação completa aqui).

AÇÕES – O Ministério da Saúde preconiza três ações devem ser buscadas pelas unidades da federação para incentivar a continuidade do aleitamento. São elas a instituição de creches próximas ao trabalho, sala de apoio à amamentação nos locais de trabalho e licença maternidade com duração de seis meses.

No DF, as servidoras do Governo de Brasília já contam com a licença de 6 meses. Além disso, a Saúde oferece consultoria para empresas e instituições públicas e privadas para a implementação da sala de apoio à amamentação, com poltrona e freezer para que as mães possam extrair e armazenar o leite durante o expediente. São oito salas em funcionamento no Ministério da Saúde, Palácio do Buriti, TJDFT, Anvisa, Unip, Hospital Regional de Santa Maria, CASSI-DF e BRB.

Outra ação é a parceria instituída com a Secretaria de Educação para alterar o tempo de afastamento da escola para as estudantes que se tornam mães para de quatro para seis meses. Com isso, as mães podem realizar trabalhos escolares em casa, ter as faltas abonas e, ao mesmo, oferecer condições para os bebês se desenvolvam. O aleitamento correto fortalece a imunidade e, com isso, os bebês se tornam menos vulneráveis às doenças.