Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
11/09/13 às 20h39 - Atualizado em 30/10/18 às 15h06

Atenção Psicossocial do DF surpreende técnicos estrangeiros

COMPARTILHAR

Unidade de Acolhimento de Samambaia recebe especialistas

O Centro de Atenção Psicossocial – Álcool e Drogas (CAPS-AD, III) e a Unidade de Acolhimento (UA) de Samambaia receberam nesta quarta-feira, 11, técnicos da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), do Escritório das Nações Unidas para Drogas e Crime (UNODC), para troca de experiências relacionadas aos serviços destinados a usuários de álcool e drogas.

“Fiquei surpresa. Gostei muito, não esperava ver essa estrutura e, ainda mais, as pessoas fazendo o possível para os pacientes se sentirem em casa”, avaliou a assistente de projeto do UNODC, Bárbara Silva, após percorrer as dependências da Unidade de Acolhimento.

A equipe visitou as instalações físicas das duas unidades, além de conhecer os serviços de acolhimento que são oferecidos aos usuários de álcool e outras drogas em Samambaia e em todo DF.

Os técnicos foram recepcionados pela Diretoria de Saúde Mental da Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES/DF), gerência e chefia de enfermagem do CAPS-AD, III e pela coordenação da Unidade de Acolhimento de Samambaia.

“Foi importante essa visita pela troca de experiências com organismos internacionais. Além de podermos apresentar os avanços do Brasil relacionado à saúde mental, especificamente do DF”, destacou o gerente do CAPS-AD de Samambaia, Ademário Regis de Britto Neto.

O diretor de Saúde Mental da SES/DF, Augusto César de Farias, apresentou ao grupo, estatísticas dos avanços em saúde mental no DF. “No começo de 2011, a cobertura em saúde mental do DF era crítica, com indicador de 0,21 por 100 mil habitantes. Após dois anos e meio, atingimos o índice de 0,59, considerado uma boa cobertura assistencial”, disse Augusto César.

Participaram também da visita o chefe do Departamento de Prevenção às Drogas e Saúde da UNODC, em Viena, Gilberto Gerra; a especialista do Departamento de Prevenção às Drogas e Saúde da UNODC, em Viena, Anja Busse; o representante do UNODC no Brasil, Rafael Franzini; a assistente de projeto do UNODC, Pollyana Alves; o assessor Regional para Abuso de Substâncias da OPAS, em Washington, Luis Alfonzo; o consultor Nacional de Saúde Mental da OPAS, no Brasil, Francisco Cordeiro; a diretora Geral do SENDA, no Chile, Francisca Florenzano Valdés e o secretário-geral da Junta Nacional de Drogas do Uruguai, Júlio Calzada; além da Diretoria de Saúde Mental da SES/DF e outros técnicos.

A visita fez parte da programação do Simpósio Internacional sobre Drogas: da Coerção à Coesão, que será encerrado hoje, 11, no Museu da República, e reúne cerca de 600 representantes de instituições internacionais, de ministérios, gestores da saúde mental e de movimentos sociais, para debater as políticas de drogas no mundo.

Iêda Oliveira