Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
30/10/19 às 11h37 - Atualizado em 31/10/19 às 10h21

Brasil é modelo do Brics para coleta e distribuição de leite humano

COMPARTILHAR

Brasília é destaque nacional e referência internacional

 

Uma reunião entre os ministros de Saúde do Brasil, China, Rússia, Índia e África do Sul, realizada neste mês em Curitiba, deu origem à 1ª Rede de Bancos de Leite Humano do Brics. O Brasil servirá de modelo para a coleta e distribuição de leite materno. E o Distrito Federal é destaque nacional, além de ser referência internacional.

 

O primeiro passo para a criação da rede foi dado durante o 1º Workshop Brics sobre Banco de Leite Humano (BLH), realizado em agosto deste ano, no Distrito Federal, por ser a capital do Brasil uma referência em políticas públicas de saúde nesta área.

 

“Para a rede da Secretaria de Saúde, é importante ter participado deste evento, colocando o Brasil como modelo para os outros países. É motivo de orgulho e de gratidão por todos que compõem a rede BLH do DF, passando por doadoras, funcionários, bombeiros, clubes de serviços como Rotary Clube, agentes de comunicação e tantos outros que fazem com que a rede seja forte e capaz de atender às crianças que necessitam”, frisa a coordenadora das Políticas de Aleitamento Materno e do Banco de Leite Humano da Secretaria de Saúde, Miriam Santos.

 

O Brasil será o ponto de apoio para o treinamento técnico no processo de pasteurização do leite humano, na logística da coleta e na criação de estratégias de comunicação social para sensibilização para a doação. “Vamos transferir e ser modelo dos princípios que regem a Rede Global de BLH e também nesse processo de partilha, além de aprender muito”, complementa Miriam.

 

IMPORTÂNCIA – Segundo o Ministério da Saúde, há 225 Bancos de Leite Humano no Brasil. A rede  do DF é composta por dez Bancos de Leite Humano da Secretaria de Saúde, além de um banco no Hospital Universitário de Brasília (HUB), um no Hospital das Forças Armadas (HFA) e três Rede Suplementar de Saúde. Existem, ainda, dois postos de coleta da secretaria e dois da rede suplementar.

 

A rede brasileira é responsável por coletar e distribuir leite materno a recém-nascidos de baixo peso. O leite humano tem tudo o que o bebê precisa até os seis meses de vida, protegendo-o contra diversas doenças. Assim, é uma estratégia importante para redução de mortes em bebês.

 

 

Alline Martins, da Agência Saúde

Fotos: Breno Esaki/Saúde-DF