Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
24/01/13 às 18h59 - Atualizado em 30/10/18 às 14h57

Caderneta de Saúde da Criança agrada mães no HMIB

Acompanhamento global do desenvolvimento infantil

No Hospital Materno Infantil de Brasília – HMIB – as mães estão recebendo a nova Caderneta de Saúde, que orienta sobre a importância do acompanhamento global do desenvolvimento infantil. Só em janeiro já foram entregues, diariamente 87, cadernetas no HMIB.

As cadernetas, aprovadas pela população, são entregues no momento da alta, juntamente com instruções sobre sua importância e deve acompanhar a criança até que ela complete dez anos. “Nós explicamos que a caderneta é um documento importante de registro sobre crescimento e o desenvolvimento da criança para os pais e médicos da rede de saúde e a mãe deve levá-la sempre que for consultar o pediatra”, conta a enfermeira da maternidade, Conceição de Oliveira Barros.

Para Nayara Monteiro Nascimento, mãe de um menino, a caderneta é uma ótima iniciativa. “Ela é muito fácil de ler. Eu adorei.” Crisvânia Quite Lopes, mãe do primeiro filho, Álvaro, concorda. “Muitas vezes ficamos com dúvidas e não recebemos todas as informações necessárias, essa caderneta será muito útil para eu entender melhor o crescimento do meu primeiro filho.”

A Caderneta foi implantada pelo Ministério da Saúde, em 2005, para substituir o Cartão da Criança e reúne registros importantes relacionados à saúde infantil. A versão de 2011 é mais completa e apresenta como diferencial os indicadores de crescimento com escala de crescimento e peso adaptadas à realidade brasileira, informações importantes sobre alimentação como aleitamento materno e uso de sulfato ferroso, dados sobre saúde bucal, além de orientações sobre vacina, promoção da saúde e prevenção da ocorrência de acidentes e violência doméstica.

“A iniciativa é importante para que às mães saibam lidar cada vez melhor com os seus bebês. Ações como essa, de acompanhamento e promoção da saúde,são as nossas estratégias para a redução da morbimortalidade infantil.” relata a médica pediátrica do Comitê de Óbito Infantil, Márcia Caldas.

Caderneta de Saúde da Criança

Ana Luiza