Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
9/06/14 às 14h15 - Atualizado em 30/10/18 às 15h11

Candangolândia e Riacho Fundo II finalizam campanha da Hanseníase

Profissionais também foram capacitados

Nenhum caso de hanseníase foi confirmado entre as cerca de 600 crianças entre 9 e 14 anos das escolas de ensino fundamental Júlia Kubitschek, na Candangolândia, e CAUB I, no Riacho Fundo II que foram examinadas dentro da campanha de combate à doença promovida pela Secretaria de Saúde do Distrito Federal.

A ação coordenada pelo médico dermatologista Eugênio Reis, diretor de assistência da Coordenação Geral de Saúde da Candangolândia, Núcleo Bandeirante, Riacho Fundo e Park Way, teve início no dia 26 de maio e rastreou crianças portadoras da Geohelmintiase (que causa o chamado bicho de pé, lombriga, entre outras).

Inicialmente os profissionais de saúde conversaram com os pais e professores explicando a importância da campanha e pediram a colaboração dos alunos para o preenchimento de um questionário.

A partir das respostas obtidas foram selecionadas seis crianças na Candangolândia e 19 no Caub I que apresentaram manchas suspeitas. Dessas, 20 atenderam ao chamado da Coordenação e foram examinadas pelo dermatologista, sendo que nenhuma teve confirmação do diagnóstico.

Para o diretor Eugênio, “a campanha é uma ótima oportunidade para detectar novos casos, pois as crianças são desprovidas de preconceitos que muitas vezes podem atrapalhar o diagnóstico da hanseníase. Uma doença que ainda é cercada de tabu” avalia.

Eugênio também considerou excelente a oportunidade para as equipes do Programa Saúde da Família e do centro de saúde serem matriciados, ou seja, receberem as informações necessárias para saber como agir em casos de lesões ou sintomas que podem ser considerados suspeitos de hanseníase.

Capacitação

Os profissionais de saúde desses locais tiveram também oportunidade de receber orientação do especialista e participar de uma aula expositiva sobre sintomas, como fazer o diagnóstico e discussão de casos clínicos.

Os atendimentos foram realizados em conjunto para que a experiência fizesse parte da capacitação dos profissionais. Na regional Núcleo Bandeirante o ambulatório de referência funciona todos os dias pela manhã, no CS nº 2, localizado na terceira avenida.

Os pacientes podem procurar orientação nos centros de saúde e ou nas equipes do Saúde da Família, sendo que os casos suspeitos são encaminhados para o ambulatório referência.

Segundo Eugênio Reis, “a campanha foi muito positiva, porque alertou para que os servidores tenham uma maior atenção com quadros que podem sinalizar a hanseníase”, ressaltou.

Arielce Haine, da Agência Saúde DF