Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
3/06/19 às 16h28 - Atualizado em 3/06/19 às 17h51

Centrais de regulação funcionam em novo espaço na Fepecs

Atendimento é voltado aos serviços de leitos gerais e ambulatoriais

 

A partir desta segunda-feira (3), as centrais responsáveis pela regulação ambulatorial e de leitos gerais, do Complexo Regulador em Saúde do Distrito Federal (CRDF), passam a funcionar na Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde (Fepecs). A entidade cedeu uma sala de laboratório, com computadores e rede wi-fi, para 24 operadores, entre médicos e enfermeiros.

 

De acordo com o diretor do Complexo Regulador, Petrus Sanchez, a mudança ocorreu em função do término do contrato de aluguel do prédio, localizado na Cidade do Automóvel, onde funcionavam as centrais.

 

“Esses serviços são de utilidade pública e não podem parar. Por isso, agradecemos o apoio da Fepecs por ceder o espaço, que é provisório. A previsão é de que, até outubro, o local mude, definitivamente, para o Centro Integrado de Operações de Brasília (Ciob), onde estarão as outras centrais da Segurança Pública”, informa Sanchez.

 

Para a gerente da Central de Regulação de Internação Hospitalar, Gabriella Ribeiro, conseguir o espaço novo foi um alívio para os profissionais. “Passamos as últimas semanas por um período bem tenso, sem saber para onde ir, porque o espaço no Ciob ainda está em reforma. Que bom que conseguimos esse local, graças à Fepecs”, agradeceu Ribeiro.

 

“A Fepecs recebe com alegria o Complexo Regulador, para que eles deem continuidade aos serviços importantes da regulação”, resumiu o diretor-executivo da fundação, Marcos Ferreira.

 

REGULAÇÃO – O Complexo Regulador em Saúde do DF conduz o acesso equânime, transparente e seguro para atenção especializada e hospitalar.

 

Todas as centrais de regulação do CRDF executam o processo de acesso para os serviços de internação hospitalar, ambulatorial (procedimentos e consultas especializadas), cirurgias eletivas, alta complexidade, transporte sanitário, urgências e transplantes de pacientes do Distrito Federal e de fora dele.

 

 

Leandro Cipriano, da Agência Saúde
Fotos: Breno Esaki/Saúde-DF