Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
27/10/16 às 18h24 - Atualizado em 30/10/18 às 15h16

Cerca de 50 servidores concluem Curso de Shantala 2016

COMPARTILHAR

Objetivo da iniciativa é aumentar o número de unidades de saúde que ofereçam a técnica

BRASÍLIA (27/10/16) – Aproximadamente 50 servidores concluíram, nesta quinta-feira (27), o Curso de Shantala 2016 que foi promovido pela Gerência de Práticas Integrativas (GERPIS) da Secretaria de Saúde. O foco da iniciativa era capacitar mais servidores para, assim, aumentar o rol das unidades de saúde que oferecem a técnica.

A Shantala existe há mais de três mil anos e consiste numa técnica de massagem para bebês de origem indiana que tem como principal objetivo a formação de vínculos entre a pessoa que faz a massagem e a criança.

Entre os benefícios trazidos pela técnica, estão a diminuição da cólica, aumento da qualidade do sono e imunidade, auxílio no desenvolvimento neuromotor e cognitivo, aprendizagem, além de auxiliar na função respiratória.

Segundo a coordenadora técnica de Shantala da Secretaria, Maria Auxiliadora Barreto, é a primeira vez que a SES oferece a capacitação com uma programação construída de forma descentralizada, ou seja, onde alunos e instrutores podem colaborar com sugestões.

“É algo muito importante porque estamos falando de uma ferramenta poderosa que temos em mãos e que não está vinculada à procura das unidades de saúde somente por tratamento, pois, por meio desta técnica, nosso intuito não é somente o tratamento, mas, sim, a promoção da saúde, ou seja, manter a criança sempre saudável”, declara Maria.

A coordenadora conta que o curso foi composto de aulas teóricas e práticas que formaram, ao todo, 40 horas de aulas.

CAPACITAÇÃO – Patrícia Bastos é técnica de enfermagem do Centro de Saúde da Candangolândia e conta que participar das aulas foi uma oportunidade única, pois sempre gostou de trabalhar com crianças. “Eu não conhecia a Shantala e achei muito gratificante a forma como a técnica é desenvolvida justamente pelo foco ser o vínculo que se forma entre quem faz e o bebê que recebe. Essa capacitação vai agregar muito à população que é atendida na minha unidade”, revela.

A enfermeira do Hospital Regional Leste (HRL) Ângeles Correa explica que já conhecia a técnica, mas, até o momento, não havia tipo a possibilidade de aprender. “Esse curso realizou um grande sonho que eu tinha para poder colocar em prática e passar esse conhecimento para a comunidade. Será um grande benefício que o ambulatório do HRL conquistará a partir do mês que vem”.

Veja as fotos aqui