Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
2/06/15 às 20h01 - Atualizado em 30/10/18 às 15h12

Cerest participa da 26ª Semana do Produtor Rural

COMPARTILHAR

Ação foi realizada em Planaltina

BRASÍLIA (2/6/15) – O Centro Distrital de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest) da Secretaria de Saúde do DF participou de uma ação na área rural de Tabatinga, em Planaltina, durante a 26ª Semana do Produtor Rural. O evento contou, ainda, com as parcerias da Emater-DF, da Secretaria de Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural, da Ceasa-DF, da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos e da Casa do Ceará. O núcleo rural de Tabatinga é responsável por grande parte da produção de grãos, hortaliças, leite e derivados do DF.

A equipe do Programa de Vigilância dos Agravos da Pele Relacionados ao Trabalho (Vigipele), do Cerest, realizou a avaliação da pele de 50 trabalhadores rurais. Também foram prestadas orientações sobre os principais cuidados para prevenção de agravos da pele relacionados ao trabalho.

Os trabalhadores que apresentaram alterações da pele serão acompanhados pela equipe de Saúde da Família da região, com apoio da equipe do Vigipele/Cerest. Nos últimos dois anos o DF registrou 67 casos de câncer de pele em trabalhadores rurais.

Outro destaque da programação foi a coleta de sangue dos trabalhadores, feitos por uma equipe do Laboratório Central do DF (Lacen). Os testes devem apontar a ocorrência de agrotóxicos no organismo dos agricultores. Caso seja encontrada alguma alteração, o paciente será encaminhado para tratamento.

“Durante o evento prestamos orientações quanto à prevenção em relação aos danos causados na pele destes trabalhadores devido à grande exposição ao sol. É necessário que eles usem roupas adequadas, cobrindo a maior parte do corpo possível, chapéu de abas largas, óculos de proteção solar e uso correto do protetor solar, com fator de proteção acima de 30”, elencou a gerente de Articulação e Vigilância em Saúde do Trabalhaor, Kelly Fermino.

Ela ressalta que quando este profissional perceber uma pinta que está crescendo de forma estranha, deve procurar imediatamente uma unidade de saúde. “Principalmente se ela for escura, assimétrica e com bordas irregulares. Devido a grande exposição ao sol, estes profissionais estão mais sujeitos a desenvolver o câncer de pele”, completou.

Leia também...