Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
3/02/14 às 14h08 - Atualizado em 30/10/18 às 15h10

Saúde realiza sensibilização para instrutores de Shantala

COMPARTILHAR

Aulas nas Regionais de Saúde de Planaltina e Paranoá

A Coordenação Regional de Práticas Integrativas em Saúde (Cerpis) vai realizar uma sensibilização referente ao curso de Formação de Instrutores em Shantala, destinada aos gestores e servidores da Atenção Primária interessados em oferecer a técnica em suas unidades de saúde. A sensibilização será nos dias 11 e 12, nas regionais de Planaltina e Paranoá, respectivamente. 

Segundo o gerente do Cerpis de Planaltina, Marcos Freire, a proposta é inserir a Shantala em rede com os demais serviços. “A Shantala foi implantada na SES/DF em 2000, conta com 30 facilitadores e, atualmente, é oferecida em 23 unidades de saúde”, afirma.

O curso é composto de aulas teórico-práticas e estágio supervisionado. Em que será desenvolvida atividade prática e depois será abordado assunto previamente determinado, com apresentação na forma de palestras ou discussão em grupos. Ao final do curso, o aluno deverá redigir um relatório de experiência da prática regular da Shantala na Unidade de Saúde em que fez o estágio supervisionado de 24 horas.

Serão oferecidas, no máximo, treze vagas, sendo nove para servidores da Atenção Primária da Regional de Saúde de Planaltina e quatro para servidores da Atenção Primária da Regional de Saúde do Paranoá, destinadas à inserção da prática na estratégia da Rede Cegonha da SES/DF.

Calendário do Curso:
– 11 de fevereiro – Sensibilizações voltadas para os servidores da regional de saúde de Planaltina (das 14h às 16h, no auditório do HRPL).
– 12 de fevereiro – Sensibilização voltada para os servidores da regional de saúde do Paranoá. (das 14h às 16h, no auditório do HRPa).
– 12 de março a 11 de junho – Curso para Formação de Instrutores em Shantala.
– 12, 17 e 19 de março e 11 de junho – 16h aulas teórico-práticas, das 14h às 18h, no auditório do HRPL.
– 20 de março a 06 de junho – estágio supervisionado na unidade, três horas semanais.

Os interessados em oferecer a técnica da Shantala em suas unidades de saúde já podem entrar em contato com a Coordenação Regional de Práticas Integrativas em Saúde para a realização das inscrições.

Shantala – É uma prática de massagem em bebês e crianças originária da Índia. É realizada por meio de toques e manobras específicas, executada por mães e/ou cuidadores. Tem como objetivo promover a saúde integral e a qualidade de vida da criança e família, reforçando os vínculos afetivos, favorecendo a cooperação, confiança, criatividade, segurança, equilíbrio físico e emocional, contribuindo assim para a formação de uma sociedade mais harmoniosa.

Atua nos sistemas circulatório e linfático ativando a circulação sanguínea, onde há um aumento de distribuição de sangue para os órgãos internos, músculos, tecidos e as partes do corpo manipuladas. Fortalece o sistema imunológico aumentando o número de plaquetas, hemoglobinas e das células vermelhas e brancas. Também atua nos sistemas respiratório e digestivo e em todo o metabolismo.

Segundo Marcos, os resultados positivos na saúde produzidos pela Shantala são crescentes, e a expansão dessa prática nos serviços públicos de saúde beneficia a população e leva servidores e usuários a buscarem inovações positivas na atenção à saúde. “A Shantala observa os princípios da integralidade humana, atua complementando ações terapêuticas e, desse modo, minimiza ou elimina distúrbios do sono, passividade, hiperatividade, irritação, tiques nervosos, distúrbios respiratórios, enurese”, disse.

E complementa: a prática é direcionada para os pais, cuidadores e pessoas que tenham contato direto com a criança. A massagem consiste em movimentos lentos, suaves compressões e alongamentos passivos por todo o corpo do bebê, tais como: peito, braços, mãos, barriga, pernas, pés, costas e rosto. “Estudo comprovam que a utilização da técnica da Shantala melhora a qualidade do sono dos bebês, e quanto às cólicas, há uma diminuição das sensações dolorosas, sendo a técnica um instrumento para o alívio das dores do bebê”, informa.

Por Tatiane Gomes, da Agência Saúde DF
Atendimento à imprensa:
(61) 3348-2547/2539 e 9862-9226

Leia também...