Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
29/04/13 às 14h45 - Atualizado em 30/10/18 às 15h05

Circuito comprova abrangência da Saúde para todos

COMPARTILHAR

Cerca de 9 mil pessoas participaram da terceira edição do projeto

A professora Flávia Ferreira Santos, 34 anos, levantou cedo no sábado (27) para falar com o governador Agnelo Queiroz sobre a saúde pública no DF. Ela foi até o Circuito Saúde para Todos, que acontecia ao lado da Administração do Paranoá, e esperou pacientemente a chegada do chefe do executivo local. Muitos achavam que seria uma crítica, mas não. A professora foi dar seu testemunho. “Quero agradecer ao senhor, governador Agnelo, pela qualidade dos serviços públicos de saúde no Distrito Federal. Fui vítima de um acidente automobilístico, internada por três dias no Hospital de Base e depois transferida para cirurgia no Hospital Regional do Paranoá. O diagnóstico inicial era que eu ficaria paraplégica, mas voltei a andar graças à eficiência dos profissionais de saúde desse hospital. Quero parabenizar o senhor e toda a sua equipe porque hoje eu estou andando normalmente”, disse a paciente recuperada das lesões na coluna.

Outro bom exemplo de reconhecimento da melhoria nos serviços prestados na área da saúde pública no DF veio da dona de casa Terezinha Maria Silveira, que também acordou cedo para ir ao Circuito Saúde Para Todos, no Paranoá. “Eu nunca tinha participado de um evento como este. Fiz exame de mamografia, fui ao dentista e tomei vacina contra a gripe. Preciso ir para casa preparar o almoço, se não ficaria aqui o resto do dia me cuidando”, declarou. Outra moradora do Paranoá, Ana Maria Pereira Braga, também achou a ação do GDF “fantástica”. “Este tipo de atenção ao povo deve se repetir outras vezes. Deu certo, porque está todo mundo gostando. É uma forma simples de prestar maior assistência à população perto de casa”, disse.

Prevenção

E foi exatamente isso que o governador Agnelo Queiroz afirmou em entrevista coletiva no início da tarde de sábado: “Estamos indo ao encontro da nossa população. Das pessoas que realmente residem no Distrito Federal, porque nos hospitais da Rede estamos assistindo muita gente de fora – o que sobrecarrega a Rede Pública de Saúde local e pode comprometer a qualidade dos serviços prestados em algumas especialidades. Só nesta manhã, atendemos no Circuito Saúde Para Todos, aqui no Paranoá, mais de 6 mil moradores. São pacientes que vêm auferir pressão arterial, preventivo de onco e de saúde bucal. A nossa intenção em ações como esta é agir na prevenção de doenças e não nas suas consequências”, disse Agnelo.

A comerciária Margarida Alves, depois de tomar a vacina contra a hepatite, afirmou que o Circuito da Saúde é um evento que aproxima os menos favorecidos à prevenção. “Não tenho tempo de ir ao posto de saúde porque tenho minhas tarefas de casa e do trabalho. Isso aqui é muito bom para a gente”, afirmou.

O Circuito Saúde Para Todos, realizado no Paranoá, no sábado (27), foi o terceiro evento dessa natureza organizado pela Secretaria de Saúde neste ano. Foi lançado em fevereiro, na Estrutural. “O resultado tem sido acima do esperado. O pessoal sai daqui orientado e isso é muito positivo”, disse o coordenador do projeto, Leonardo Ribbeiro. Acrescentou informando que a intenção é percorrer todo o DF, garantindo diversos serviços de saúde gratuitos à população.

Durante o Circuito é realizada vacinação, testagem rápida de hepatite C, eletrocardiograma, avaliação oftalmológica, avaliação odontológica, atendimento preventivo do Programa DST/AIDS, orientações sobre vida saudável, exames de ecografia, mamografia e outros preventivos na área do câncer, orientações sobre prevenção, tratamento e medicação da dengue, além de recebimento de sangue pelo Hemocentro.

Números do Paranoá

Numa região administrativa com aproximadamente 200 mil moradores, 9 mil pessoas participaram da terceira edição do Circuito Saúde Para Todos. Os dentistas do programa Brasil Sorridente registraram 538 atendimentos individuais com distribuição de kits; houve 295 doses administradas de vacinas, sendo dT 70, Hepatite B, 49 TV 23, FA 21 e Influenza 132 doses. No caso de testagem rápida, foram 380 de hepatite e Sífilis 70. Foram 580 atendimentos individuais para a Dengue, foram feitos 21 Eletrocardiogramas, Cardiologia 931 atendimentos individuais, englobando aferição de PA e medição de colesterol e triglicerídeos. A Oftalmologia realizou outros 233 atendimentos. Já a Saúde Mental/Nepav realizou 26 oficinas com grande demanda de público durante todo o dia. A Carreta da Mulher fez 54 exames de Mamografias, 50 Preventivos e 50 Ecografias. O SAMU realizou 30 oficinas de primeiros-socorros com uma participação superior a 1,5 mil crianças  nessas atividades infantis.

 

José Roberto Bueno