Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
19/09/19 às 10h35 - Atualizado em 20/09/19 às 10h17

Clínicas credenciadas pela Saúde fazem 487 ressonâncias magnéticas em 20 dias

COMPARTILHAR

Quantidade corresponde a mais de 24 procedimentos por dia

 

Em 20 dias, foram realizados 487 exames de ressonância magnética pelas quatro clínicas de imagem particulares credenciadas pela Secretaria de Saúde. Esse número corresponde a uma média de 24 procedimentos por dia, conforme levantamento feito até esta terça-feira (17). Os exames começaram a ser feitos no final de agosto.

 

As ressonâncias foram realizadas pelas clínicas Vilage (38), Organike (68), Clínica Brasília de Radiologia (190) e Centro de Imagens Gama (191). Recentemente, uma quinta empresa concluiu o processo de convênio com a Secretaria de Saúde, com capacidade para realizar até 300 exames por mês.

 

“Já vamos oferecer a capacitação dos profissionais da empresa para que possam agendar com os pacientes em espera. Se tudo transcorrer bem, esperamos que os exames comecem a ser feitos partir da semana que vem”, afirmou o diretor do Complexo Regulador, Petrus Sanchez.

 

Outras dez clínicas se apresentaram para credenciamentos e aguardam a conclusão do processo para receber o treinamento e, na sequência, iniciar o agendamento dos pacientes. “Assim que todas as empresas fecharem os contratos de convênio e estiverem aptas a agendar, estimamos que mais de 5 mil exames sejam ofertados por mês”, informou o diretor.

 

AGENDAMENTOS – De acordo com Sanchez, até o momento, 579 pedidos de exames foram agendados pelo Complexo Regulador para serem realizados em setembro. A prioridade foram os pacientes internados, os oncológicos e os que aguardavam há muito tempo na fila.

 

Todos os pedidos para o exame de ressonância, na rede pública de saúde, são direcionados ao Complexo Regulador. Atualmente, há cerca de 23 mil solicitações pendentes e o número tem aumentado depois que a população voltou a ter acesso aos exames. A demanda é calculada pela quantidade de  solicitações, não por número de pessoas, já que um mesmo paciente pode ter diversas solicitações.

 

De acordo com a área técnica da Saúde, o cadastramento urgente para atendimento à população se faz necessário depois que as três clínicas responsáveis pelas ressonâncias da rede pública interromperam o serviço devido a falhas nos equipamentos. Contudo, mais medidas estão sendo tomadas para melhorar a situação.

 

MELHORIAS – Está em andamento um processo de aquisição de quatro aparelhos de ressonância magnética, a ser instalados nos hospitais regionais de Sobradinho (HRS), Santa Maria (HRSM) e Asa Norte (Hran), e no Centro Radiológico de Taguatinga (CRT).

 

Além disso, o Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (Iges-DF), responsável pelo atendimento dos hospitais de Base, Santa Maria e pelas unidades de pronto atendimento (UPA), prepara, até o final do ano, a instalação de um aparelho próprio de ressonância magnética. Atualmente, nenhum está em funcionamento. Pela complexidade do equipamento, o tempo entre a compra e a instalação leva, em média, um ano.

 

Da Agência Saúde

Foto: Mariana Raphael/Saúde-DF