Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
12/09/13 às 22h24 - Atualizado em 30/10/18 às 15h06

Comitê de Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas lança cartilha

COMPARTILHAR

Saúde já inaugurou seis centros de atendimento a usuários de drogas

Foto: Hmenon Oliveira

O Comitê de Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas, composto por 15 secretarias, Codeplan e Casa Civil, lançou nesta quinta-feira (12) uma cartilha com informações sobre a rede de atenção ao usuário de drogas no Distrito Federal, que será distribuída em todas as unidades de atendimento ao usuário.  

Durante a solenidade, realizada na Secretaria de Justiça, foi apresentado um balanço de dois anos de vigência do Plano Distrital de Enfrentamento ao Uso do Crack e Outras Drogas. “O balanço da saúde é extremamente positivo”, comenta a assessora da Diretoria de Saúde Mental do DF, Cristiane Alves.

Segundo ela, a Secretaria de Saúde contratou mais de 565 profissionais para a implantação da rede de saúde mental/álcool e drogas. “São psicólogos, psiquiatras, médicos clínicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, assistentes sociais, terapeutas ocupacionais e técnicos administrativos que compõem essa rede”, afirma Cristiane.

Também merece destaque a ampliação da rede de assistência, com a inauguração dos Centros de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS-AD). “O DF contava com apenas quatro CAPS-AD. Após a implantação do Plano em agosto de 2011, foram implantados mais seis, um no Itapõa e cinco que funcionam 24 horas. Em números, dobramos a cobertura, especificamente para álcool e drogas”, declara.

No início de 2011, a cobertura do DF de CAPS-AD para cada 100 mil habitantes, estava em 21%. Com a implantação de novos CAPS, passou para 59%. Além dos CAPS, a rede conta com uma Unidade de Acolhimento em Samambaia, e estão previstas a inauguração de mais três, em Taguatinga, na Asa Norte e em Ceilândia.

“Paralelo a isso, conseguimos mais 45 leitos em hospitais da rede pública de saúde do DF, credenciados pelo Ministério da Saúde. São leitos de atenção integral à saúde mental”, informa Cristiane.

De agosto de 2011 a agosto de 2013, foram acolhidos 8.260 novos usuários de álcool e outras drogas. Além disso, mais de dois mil foram internadas nas comunidades terapêuticas conveniadas e pelo menos 1.069 interromperam o tratamento, 217 permaneceram fora desses espaços sem recaídas, 23 permaneceram na comunidade como voluntários e 91 retornaram à comunidade em recaída.

Patrícia Kavamoto

Leia também...