Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
2/12/21 às 22h43 - Atualizado em 2/12/21 às 23h23

Confirmados dois casos de infecção por covid-19 pela variante Ômicron

Infectados são acompanhados pelo Cievs-DF, que também monitora as pessoas que estavam próximas dos indivíduos durante o voo para Brasília

 

ADRIANA SILVA, DA AGÊNCIA SAÚDE-DF | EDIÇÃO: JOHNNY BRAGA

 

A Secretaria de Saúde confirmou, nesta quinta-feira (2), a infecção de duas pessoas por covid-19 com a variante Ômicron – detectada pela primeira vez na África do Sul. São dois homens que vieram em voo daquele país ao Brasil, em 27 de novembro, e que embarcaram posteriormente, no mesmo dia, em outro avião de Guarulhos para Brasília.

 

Eles estavam no mesmo voo em que dois passageiros também testaram positivo para covid-19, e que na amostra genética foi detectada a presença da variante africana.

 

Coletiva de imprensa na Secretaria de Saúde – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde-DF

De acordo com a chefe do Cievs-DF, Priscilleyne Reis, o processo de investigação contou com a colaboração do Ministério da Saúde e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). “Tão logo surgiu a informação desses dois casos suspeitos da nova variante, o Cievs recebeu a notificação de que os dois viajantes de Brasília estavam no mesmo voo do caso confirmado de São Paulo. Os dois passageiros foram testados. Um, dado positivo para a covid-19, sendo encaminhado imediatamente a amostra para o sequenciamento, e a gente iniciou o nosso protocolo de vigilância para novas variantes”, explica.

 

A chefe do Cievs-DF também informou que o segundo caso testou negativo no primeiro exame. “Ambos estavam assintomáticos. Seguindo nossa orientação, o passageiro com teste negativo teve o exame repetido, desta vez dando positivo para a covid-19. E nesta quinta-feira, no final da manhã, recebemos do Lacen a confirmação para a nova variante. Os dois encontram-se em total isolamento e sendo monitorados pela SES. Ambos são moradores do Distrito Federal”, complementa Priscilleyne.

 

O secretário de Saúde, general Manoel Pafiadache, anunciou que os seis passageiros monitorados pelo Cievs-DF fizeram testes para covid-19. “Os passageiros que estavam no entorno dessas duas pessoas também foram identificados e testados. É um trabalho difícil, mas muito preciso, realizado pelo nosso Cievs”, destacou.

 

Laboratório Central realiza o sequenciamento genômico da covid-19 – Foto: Sandro Araújo/Agência Saúde-DF

Estão sob acompanhamento os seis passageiros que estavam na fileira da frente, do lado e de trás do avião. Os testes do tipo RT-PCR foram realizados nesta quinta-feira (2) e, neste momento, a investigação é para detectar a presença do coronavírus. Não se trata de mais um sequenciamento genômico.

 

O secretário fez questão de agradecer o trabalho desenvolvido pelo Lacen. “Gostaria de registrar o profissionalismo da nossa equipe em identificar rapidamente essa nova variante para que a gente não tenha grandes dificuldades em enfrentá-la”.

 

Materiais genéticos são analisados pela equipe do Lacen-DF – Foto: Sandro Araújo/Agência Saúde-DF

 

Enfrentamento da pandemia

 

O secretário adjunto de Assistência à Saúde, Fernando Erick Damasceno, ressaltou que as perspectivas de enfrentamento da pandemia seguem rigorosas. Segundo ele, com a entrada de uma nova variante no Distrito Federal, as atenções serão ainda maiores quanto ao enfrentamento do novo vírus.

 

“O nível de transmissibilidade (RT) no DF está menor que 1, a quantidade de testes PCR positivos em decréscimo. O momento ainda é de incertezas, mas já avançamos muito. Estamos preparados para atender com qualidade a população do DF”.

 

Hoje, o RT está em 0.79. Na quarta-feira (1º/12) estava em 0.81 e há três dias em 0.82. Observa-se a tendência de decréscimo.

 

Vacinação

 

A campanha de vacinação avança na capital federal. Hoje, 88,62% da população vacinável do DF já recebeu a primeira dose. Além disso, 76,84% receberam a segunda dose ou a dose única. Ao todo, a Secretaria de Saúde já aplicou 4.448.530 doses de vacina entre primeira e segunda dose, dose única, reforço ou dose adicional.

 

O Distrito Federal tem vacinas suficientes para alcançar toda a população elegível à vacinação.