Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
10/01/18 às 10h12 - Atualizado em 30/10/18 às 15h18

Crianças em casa, cuidado redobrado

COMPARTILHAR

Piscina é um dos locais com maior risco de acidentes

BRASÍLIA (10/1/18) – O período de férias escolares significa presença mais constante de crianças em casa, cheias de energia e também prontas para certas “armadilhas” que podem estar presentes em qualquer lugar. Isso exige atenção redobrada de pais e responsáveis.

“Os pais devem observar os riscos de acidentes, que vai diferir conforme o ambiente em que a criança pode estar. Na ordem decrescente de frequência, a cozinha é o primeiro local que mais ocorrem acidentes, seguida pelo banheiro, escada, quarto e piscina”, alerta o enfermeiro e chefe do Núcleo de Educação em Urgências do Samu/DF, Tiago Silva Vaz.

Ele destaca que as crianças devem ser vigiadas o tempo todo. “Os acidentes são evitáveis. Em lactentes, as queimaduras, intoxicações e quedas são mais comuns. Já na idade pré-escolar e escolar, os atropelamentos, quedas de lugares altos, ferimentos com brinquedos e armas de fogo e queimaduras prevalecem”, elenca.

Somente em novembro de 2017, a Central de Regulação em Urgências do Samu/DF recebeu 431 chamados identificados como ocorrências pediátricas. Um total de 14,3% das ocorrências atendidas foram para a faixa etária compreendida entre 0 a 19 anos.

ACIDENTES – No período de férias, o risco é aumentado para acidentes na água. No Brasil, o afogamento é a terceira causa de morte em qualquer faixa etária. Porém, é a segunda maior causa de morte entre crianças de 1 a 14 anos de idade. Assim, é importante cobrir piscinas e manter grandes fechadas em volta delas. No caso de banhos, usar sempre material de segurança, como boias, e os olhos bem abertos nos pequenos.

No lado oposto, as queimaduras também são resultado de acidentes, em especial, com crianças menores de 5 anos de idade. “Coloque proteção nas tomadas elétricas, nunca solte pipa perto de rede elétrica, evite exposição solar entre 10 horas e 16 horas, não use álcool para acender churrasqueiras, lamparinas e mantenha velas fora do alcance das crianças”, orienta Tiago Vaz.

Outro grande perigo para crianças em qualquer época do ano são as intoxicações, em especial, com medicamentos. De acordo com o Centro de Informações Toxicológicas da Secretaria de Saúde, uma média de 71 crianças de até 12 anos de idade são atendidas, por mês, na rede pública do Distrito Federal.