Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
23/01/14 às 14h15 - Atualizado em 30/10/18 às 15h10

Cuidados e higiene íntima da mulher podem evitar infecções

Para orientar as mulheres, a Secretaria de Saúde conta com ginecologistas em toda a rede

Os cuidados com a saúde devem fazer parte da rotina diária das mulheres, e isso envolve a higiene íntima. Quando não realizada corretamente, pode provocar infecções bacterianas e proliferação de fungos.

“O uso de ducha vaginal não é recomendado. Isso provoca infecções, pois tira a proteção natural da vagina, alterando o seu ph, que é um mecanismo de defesa”, informa o ginecologista e chefe da Unidade de Ginecologia e Obstetrícia do Hospital Regional de Samambaia (HRSam), Bruno Carneiro.

De acordo com o médico, esse processo de higiene excessiva facilita a manifestação de infecções por fungos, como a candidíase, infecções bacterianas (vaginoses), entre outras.

Segundo o profissional, a maioria das infecções vaginais leves são tratadas com o uso de cremes e pomadas. Entretanto, naqueles casos em que o tratamento não é buscado podem evoluir para doenças inflamatórias pélvicas, cujo tratamento segue com antibióticos. Casos de complicações mais severas podem provocar ainda abscessos tubo-ovariano, resultando em gravidez ectópica e infertilidade, por exemplo.

Para a ginecologista do Centro de Saúde n° 2 de Samambaia, Cláudia Araújo, a mulher não deve usar roupas muito apertadas. “Saias, vestidos, calças de tecido leve e largas são as roupas mais indicadas para as mulheres, além de calcinhas de algodão, que permitem uma melhor transpiração”, informa.

As recomendações de higiene são também para as meninas. Muitos casos de infecções e corrimentos em meninas, de acordo com a médica, ocorrem por contaminação por fezes. A profissional alerta que o correto é limpar a vagina de frente para trás e as mãos devem estar sempre limpas, evitando assim, trazer bactérias para a região genital. Dica que vale para todas as mulheres, independente da faixa etária.

O médico Bruno Carneiro acrescenta que as infecções por fungos, comuns nas meninas, se devem também pelo contato da região íntima com o chão, ao sentar-se nas brincadeiras em areias, por exemplo.

Sintomas
“Toda mulher produz secreção fisiológica, transparente, o que é normal. Por isso, é importante frisar que nem toda secreção que é notada é motivo de intervenção médica”, esclarece Bruno Carneiro.

Os sintomas mais comuns de infecções vaginais são secreção amarelada, corrimento, mau cheiro e coceira. Nesses casos, a mulher deve procurar atendimento ginecológico para o diagnóstico e tratamento correto.

Para orientar e examinar as mulheres, a Secretaria de Saúde conta com ginecologistas em toda a rede e, especificamente, nos centros de saúde, que compõem a atenção primária à saúde.

Por Iêda Oliveira, da Agência Saúde DF
Atendimento à imprensa:
(61) 3348-2547/2539 e 9682-9226