Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
30/06/15 às 10h31 - Atualizado em 30/10/18 às 15h12

DF consegue reduzir em 16% os acidentes com mortes no trânsito

Núcleo de Prevenção de Acidentes da Saúde apresenta dados

BRASÍLIA (29/6/15) – O Distrito Federal vem avançando no combate aos acidentes de trânsito com vítimas fatais. Desde que a Lei Seca foi implantada, em 2008, o número de mortes diminuiu em 16%. Em junho de 2007 foram registrados 164 casos. No mesmo período de 2015 foram 138.

Para a chefe do Núcleo de Prevenção de Acidentes (Nupaci/SVS), Janilce Guedes, estes dados demonstram que o trabalho de prevenção dos órgãos no DF têm ajudado quanto à educação no trânsito, as pessoas estão mais conscientes na hora de dirigir. No entanto, ela ressalta que o número ainda esta abaixo da expectativa. “Este número está ainda abaixo do esperado, pois a meta para esta década é que até 2020 haja redução de 50% nos casos de vítimas fatais e que essa redução continue a ser mantida nas próximas décadas”.

O Nupaci promove ao longo do ano várias ações de mobilização em prevenção aos acidentes no trânsito. Em maio o núcleo esteve envolvido com a campanha internacional “Maio Amarelo”. Palestras foram ministradas para motoristas profissionais, como caminhoneiros e motofretistas, além de ações de conscientização para a sociedade em algumas regionais.

“É importante reforçar que a campanha “Maio Amarelo” terminou, mas a atenção no trânsito não pode diminuir. Motoristas, pedestres e ciclistas devem manter a atenção nas vias e não consumir álcool e drogas ao circular pelas estradas”, destaca Janilce.

Segundo o relatório produzido pelo Detran, das 155 vítimas mortas em vias urbanas em 2014, 45 apresentaram resultado positivo para consumo de álcool e drogas, onde 31 consumiram somente bebida alcoólica, 7 consumiram somente drogas e 8 consumiram simultaneamente álcool e drogas.

Das 39 vítimas mortas que tiveram resultado positivo para dosagem de álcool no exame de sangue, o nível médio de alcoolemia foi de 2,18 dg/L. Quanto ao tipo de envolvimento 3 eram ciclistas, 9 motociclistas, 8 demais condutores, 6 passageiros e 13 pedestres. Entre as cidades em que ocorreram esses acidentes fatais Ceilândia, Plano Piloto, Taguatinga, Gama e Samambaia apresentaram os maiores números com 7, 6, 5, 4 e 4 casos, respectivamente.