Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
23/11/12 às 20h50 - Atualizado em 30/10/18 às 14h57

DF ocupa 25º lugar entre capitais brasileiras em casos de Aids

COMPARTILHAR

O boletim epidemiológico de Aids do Ministério da Saúde (MS), lançado no dia 20 de novembro, aponta que o Distrito Federal ocupa o 25º lugar entre todas as capitais brasileiras, com um coeficiente de incidência média de 16 casos por 100 mil habitantes, nos últimos cinco anos. Desde o primeiro registro no DF (em 1985) já foram identificados 8.076 casos da doença. No ano passado, a incidência foi de 18,1 casos por 100 mil habitantes. Embora se observe uma tendência de estabilização da detecção dos casos, é possível afirmar que o DF encontra-se entre as localidades brasileiras com alta incidência da doença.

Os homens continuam sendo os mais afetados pela epidemia. A cada 25 casos em homens, é possível identificar 10 casos em mulheres. A categoria de exposição homo/bissexual caracteriza de forma mais importante a dinâmica da doença, com expressão relevante em todas as faixas etárias, em especial entre os adolescentes. Em 2011, no sexo masculino, 57,7% dos casos tiveram como categoria de exposição a homo/bissexual e 26,8% a heterossexual. Entre as mulheres, a principal categoria de exposição é a heterossexual (mais de 80% dos casos).

O número de crianças que adquiriu o HIV por transmissão vertical segue em queda no DF desde 1997, quando se iniciou a disponibilidade da quimioprofilaxia da transmissão do HIV durante a gestação e parto, tendo registrado 7 casos em 2003 e 1 em 2012. Em relação à taxa de mortalidade, o boletim epidemiológico do MS também sinaliza queda. Em 2002 era de 6,3 por 100 mil habitantes, passando para 5,6 em 2011 – queda de aproximadamento12%. Na comparação regional, verifica-se que o sudeste apresenta comportamento similar, enquanto as regiões Norte, Nordeste e Sul seguem tendência de aumento. O coeficiente da região Centro-Oeste encontra-se estável.

Cuidados
Dados da Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES/DF) apontam que 30% dos usuários soropositivos são diagnosticados tardiamente. Cerca de 400 novos casos de Aids são diagnosticados a cada ano no DF, o que impõe constantes reflexões sobre as perspectivas de enfrentamento da doença e a importância de se fazer o teste de HIV.

Muitas pessoas deixam de fazer o teste por medo ou constrangimento, por isso é importante ressaltar que a aids é uma doença que avança de forma persistente sobre a população geral e ainda mais contundente em grupos populacionais mais vulneráveis (homo/bissexuais, usuários de drogas e profissionais do sexo). Sem esquecer ainda a grande camada da população que faz sexo sem proteção.

O teste de HIV, que pode ser feito em qualquer unidade de saúde do DF, é inteiramente sigiloso e oferece a quem realiza a possibilidade de ser acompanhado por uma equipe de profissionais de saúde que a orientará sobre o resultado final do exame, independente dele ser positivo ou negativo. Quando os resultados são positivos, a pessoa é encaminhada para se tratar em um dos centros de referência da cidade.  

SEMANA DISTRITAL DE PREVENÇÃO DAS DST E AIDS

Com base nas ações prevista para a celebração do Dia Mundial de Luta contra a Aids, 1° de dezembro, o Ministério da Saúde lançou como tema da campanha deste ano a frase “Faça o teste de Aids. Não fique na dúvida. Fique sabendo”. No DF, porém, por força da Lei Distrital 4.294/09 – que estabelece a Semana Distrital de Prevenção das DST e Aids, a mobilização será estendida para além do próprio dia.

Segue a agenda de eventos da Semana Distrital de Prevenção das DST e Aids.

Terça-feira (27) pela manhã: Reabertura do CTA-Rodoviária, voltando a acolher à população com distribuição de preservativos, aconselhamentos e oferecimento de testagem rápida para o HIV, Sífilis e hepatites virais (B e C).
Quarta-feira (28) pela manhã: Comando de Saúde nas Rodovias, em parceria com a Polícia Rodoviária Federal. Distribuição de preservartivos, aconselhamentos e oferecimento de testagem rápida a caminhoneiros em trânsito na BR-040, no Posto da PRF.
Quarta-feira (28) à noite no Setor Comercial Sul: Ação do Programa de Redução de Danos, com distribuição de preservativos, aconselhamentos e oferecimento de testagem rápida às populações de maior vulnerabilidade que frequentam a área. Também haverá participação da unidade móvel do projeto “Quero Fazer”.
Sexta-feira (1°) pela manhã no Parque da Cidade: “Caminhada da Saúde pela Conscientização e Prevenção da Aids”. Evento feito em parceria com a Secretaria de Política das Mulheres, com distribuição de preservativos, aconselhamentos e oferecimento de testagem rápida às mulheres da caminhada e aos freqüentadores do Parque.

Hugo Mendes