Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
17/05/13 às 20h50 - Atualizado em 30/10/18 às 15h05

Distrito Federal é recordista em transplante de coração, fígado, córnea e rim

COMPARTILHAR

Números do 1º trimestre de 2013 superam o mesmo período de 2012


Levantamento da Central de Captação de Órgãos e Tecidos do DF mostra um sensível aumento na captação de doadores no primeiro trimestre de 2013. Em 2012, a capital federal figurava em segundo lugar no ranking nacional com 21,8 doações para cada milhão de habitantes e de janeiro a março deste ano atingiu 28 para cada milhão de habitantes.

De acordo com dados divulgados pela Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos – ABTO, o Distrito Federal é a unidade da federação recordista em transplantes (proporcionalmente ao número de habitantes), seguido dos estados do Ceará e São Paulo. Comparando com o primeiro trimestre de 2012, o número de doadores cresceu, aumentando os números de transplantes.

O Distrito Federal ficou em primeiro lugar em doações de coração, seguido de fígado, córnea e rim. Dados do primeiro trimestre deste ano mostram que foram feitos 12 transplantes de fígado, seis de coração, 27 de rim, 65 de córnea e quatro de medula em várias unidades do DF. Em 2012, foram realizadas 22 cirurgias de rim, sete de fígado, três de coração, 120 de córnea e uma de medula.

Além de estar em primeiro lugar no ranking nacional de captação de doares, o DF se destaca nas estatísticas de transplantes realizados, se consolidando na primeira posição em cirurgias de coração e córnea (proporcionalmente ao número de habitantes) também no ano passado. Em 2012 a SES-DF realizou 576 transplantes no total, somando os procedimentos de rim (102), córnea (407), coração (18), medula (10) e fígado (39).

O aumento na captação de doadores pode se explicado, segundo a coordenadora da Central de Captação, Daniela Salomão, pela maior eficácia na manutenção dos pacientes em morte cerebral e pela melhoria na comunicação de potenciais doadores atendidos nos serviços de emergência e unidades de terapia intensiva da rede. “Desde a chegada do secretário Rafael Barbosa, a saúde tem aumentado o seu compromisso com a população e está intensificando os mutirões para conseguir diminuir, mais, a fila de espera”, afirmou.

A SES tem o compromisso de identificar o comprometimento no processo de doação, e assim dar continuidade na estruturação de equipe para sempre atender de forma mais rápida possível. O DF já está pronto para oferecer o transplante de pulmão. Para isso, já obteve credenciamento junto ao Ministério da Saúde. O Instituto de Cardiologia do DF (ICDF), hospital conveniado à Secretaria, irá realizar o procedimento. Os médicos aguardam apenas um paciente estabilizado e preparado para fazer o primeiro transplante do DF.

Leia também...