Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
30/09/21 às 18h40 - Atualizado em 1/10/21 às 14h57

Dose de reforço começa a ser aplicada em idosos com 70 anos ou mais

Para ser vacinado, é necessário ter recebido a segunda dose há pelo menos seis meses

 

GUILHERME PEREIRA I EDIÇÃO: JOHNNY BRAGA I DA AGÊNCIA SAÚDE-DF

 

A partir desta sexta-feira (1º/10), começa a ser aplicada a dose de reforço nos idosos com 70 anos ou mais no Distrito Federal. O reforço é aplicado em quem completou o ciclo vacinal com a segunda dose (D2) há pelo menos seis meses. Para receber a vacina, basta comparecer ao ponto de vacinação mais próximo, e que esteja aplicando a dose de reforço, com documento de identidade e cartão de vacina comprovando a data da D2. A redução da faixa etária para a dose de reforço foi anunciada em coletiva de imprensa pelo secretário de Saúde, general Manoel Pafiadache.

 

Fotos: Breno Esaki/Agência Saúde-DF

O titular da pasta chamou a atenção para a baixa procura pela dose de reforço na capital federal. Segundo ele, mais uma vez a Secretaria ampliará a faixa etária de vacinação em função da baixa demanda. “Seguimos na mesma estratégia de quando liberamos a dose de reforço para as pessoas de 85 anos. A procura não foi tão grande, liberamos para 80. A mesma coisa agora, a procura não foi grande, liberamos para 70, para que a gente não deixe doses armazenadas nos nossos estoques”, convoca o general.

 

A aplicação da dose de reforço será com o imunizante Pfizer-BioNTech, conforme orientação do Ministério da Saúde. As salas de vacina localizadas em unidades de saúde estarão abertas a partir das 8h nas UBSs, às 9h em alguns pontos específicos e às 18h na Praça dos Cristais. Hoje, o Distrito Federal já está na última fase do Plano Nacional de Operacionalização (PNO/MS) da vacinação contra a covid-19 contemplando pessoas a partir dos 12 anos de idade.

 

Instituições de Longa Permanência

 

Cerca de uma semana após iniciar a vacinação dos idosos que vivem em Instituições de Longa Permanência (ILPIs), a pasta já estima que cerca de 82% deste público já foi vacinado. Após uma força tarefa das equipes de saúde da família, 26 das 32 instituições do Distrito Federal foram visitadas.

 

O coordenador de Atenção Primária em Saúde, Fernando Erick Damasceno, ressalta o esforço das equipes nesta ação. “Demos prioridade para a doses de reforço do idoso na ILPI por saber da suscetibilidade e vulnerabilidade desse público. Priorizamos esse esforço nesta semana para resolvermos isso o mais rápido possível”, destaca.

 

A estimativa é de que até o final do mês de outubro todo este público já tenha recebido a dose de reforço. De acordo com as estimativas da pasta, 700 idosos vivem em ILPIs no Distrito Federal.

 

Vacinação contra a covid-19 em idosos – Fotos: Breno Esaki/Agência Saúde-DF

 

Doses recebidas

 

Na última terça-feira, o Distrito Federal recebeu 19 mil doses da vacina AstraZeneca, que serão destinadas à aplicação de segunda dose. Outras 153.270 doses da Pfizer serão divididas da seguinte forma:

 

– 145.080 serão destinadas à aplicação de segunda dose, conforme o prazo estabelecido no cartão de vacinação;
– 5.850 serão usadas como doses de reforço para idosos acima de 70 anos que já tenham completado seis meses desde o recebido da D2;
– 2.340 serão destinadas à vacinação do público acima dos 12 anos.

O subsecretário de Vigilância à Saúde, Divino Valero, afirma que “Esta dose de reforço será diferenciada, pois iremos receber um número mais expressivo, há uma expectativa de que possamos receber em torno de 50 mil doses, quando a nossa soma para esse público inicialmente estava em 49 mil”, afirma.

 

Transmissão da covid-19

 

O índice RT diário que mede a taxa de transmissão da covid-19 no Distrito Federal está em 1.04 nesta quinta-feira (30). Isso quer dizer que cada 100 pessoas infectadas com o novo coronavírus transmite a covid-19 para outras 104. Há 7 dias, o RT estava em 0.96, há 3 dias estava em 0.90 e ontem chegou a 1.00.

 

Os dados foram apresentados pela secretária-adjunta de Assistência à Saúde, Raquel Beviláqua, que também destacou a situação dos leitos de UTI para atender os pacientes com Covid-19. Na tarde de hoje, 82,8% dos leitos de UTI estavam ocupados.

 

Os gestores aproveitaram a apresentação dos dados e fizeram um apelo à população apta a receber a dose de reforço, ou que ainda não tenha recebido a primeira ou segunda dose que procurem os pontos de vacinação.