Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
28/12/21 às 10h00 - Atualizado em 28/12/21 às 17h39

Em 2021, a Região de Saúde Leste fortaleceu os atendimentos na Atenção Primária e ganhou a segunda UPA

Novas unidades de saúde, parcerias com a rede privada e adequações estruturais foram feitas para melhor atender à população

ADRIANA SILVA, DA AGÊNCIA SAÚDE-DF | EDIÇÃO: JOHNNY BRAGA | REVISÃO: JULIANA SAMPAIO

 

Ao longo do ano, várias ações e melhorias foram realizadas na rede pública de saúde para oferecer conforto aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) e melhores condições de trabalho para os servidores. Na Região de Saúde Leste, formada por Paranoá, Itapoã, São Sebastião, Jardim Botânico e Jardins Mangueiral, o Governo do Distrito Federal, por meio da Secretaria de Saúde, construiu duas unidades básicas de saúde e entregou uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) no Paranoá.

 

As ações promovidas na região vão além da entrega das novas unidades. A UTI do Hospital da Região Leste (HRL – Paranoá) foi reformada e ganhou três máquinas de hemodiálise. Ainda no HRL, em junho foram iniciadas as atividades com o novo aparelho de colonoscopia. O exame é indicado a partir dos 45 anos para prevenção de câncer de cólon, em pacientes que não tenham histórico familiar da doença. Abaixo dos 45 anos, a colonoscopia é feita em pacientes com dores abdominais, hemorragia digestiva, além daqueles com histórico familiar da doença.

 

HRL ganhou colonoscópio, o que aumentou a oferta de exames de colonoscopia na rede pública de saúde – Foto: Luiz Fernando Cândido/Região Leste

“O ano de 2021 foi extremamente profícuo em entregas para a população da Região de Saúde Leste, especialmente do ponto de vista de inaugurações de novos equipamentos de saúde”, ressalta o superintendente da Região de Saúde Leste, Sydney Sotero. O gestor também destacou a reestruturação dos serviços que ocorreu em razão da pandemia de covid-19, o que sobrecarregou os serviços de saúde em todo o mundo.

 

“Estamos acelerando a assistência às cirurgias eletivas e ampliando a capacidade do pronto-socorro com programas de gestão profissional. Apesar dos desafios ainda por vencer, contamos com novos equipamentos de saúde e os antigos estão aumentando a capacidade assistencial pela otimização de processos de trabalho e gestão”, explica.

 

Atenção Primária

 

O fortalecimento da Atenção Primária é uma das metas da Secretaria de Saúde para todo o DF. As unidades básicas de saúde (UBSs) são a porta de entrada para os atendimentos na rede pública de saúde. Cerca de 85% das demandas por atendimento na rede podem ser sanadas nas UBSs. Por isso, reforçar as equipes de Saúde da Família e construir novos espaços é um compromisso do GDF com a população.

 

UBS 1 do Jardins Mangueiral. Unidade foi inaugurada em maio – Foto: Geovana Albuquerque/Arquivo-SES

Em maio, a UBS 1 do Jardins Mangueiral foi inaugurada – a primeira da região que durante anos não tinha nenhum equipamento de saúde. O investimento empregado para a nova UBS foi de R$ 2.976.187,97. O espaço tem 25 salas, onde foram instalados consultórios, salas de coleta, farmácia, medicação, triagem e vacinação. O prédio tem 737 metros quadrados e abriga três equipes de Estratégia Saúde da Família e três equipes de saúde bucal. A unidade abrange uma área em que vivem 24 mil pessoas.

 

UBS 3 do Paranoá Parque – Foto: Geovana Albuquerque/Arquivo-SES

Em agosto foi a vez da UBS 3 do Paranoá Parque mudar-se para um novo espaço. Antes, a estrutura funcionava em um galpão entre o HRL e o restaurante comunitário. O novo local possui 870 m² e conta com oito consultórios, que foram divididos em quatro para médicos e quatro para enfermeiros, mais dois consultórios de odontologia e um consultório para o Núcleo de Apoio à Saúde da Família (Nasf). A UBS também é equipada com sala de atividades coletivas, sala de vacinas, sala de coleta de exames, farmácia, copa e vestiário para os funcionários, entre outras.

 

A população coberta pelas seis equipes de Estratégia Saúde da Família é de 26 mil pessoas. Os pacientes contam, ainda, com três equipes de odontologia e uma equipe multidisciplinar do Nasf, composta por terapeuta ocupacional, farmacêutico, assistente social, psicólogo e nutricionista.

 

Atenção Secundária

 

Em fevereiro, a emergência pediátrica do Hospital da Região Leste foi revitalizada e ganhou uma temática lúdica. O objetivo da direção da unidade foi levar mais conforto aos pequenos pacientes que aguardam atendimento. As cores vivas e os desenhos artísticos encantam e trazem um ar de leveza ao ambiente.

 

Entrada da emergência pediátrica do HRL ganhou tema lúdico – Foto: Luiz Fernando Cândido/Região Leste

No mês de outubro, a população do Paranoá ganhou a primeira Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Ela foi erguida em uma área de 1,2 mil metros quadrados e tem capacidade de atender cerca de 4,5 mil pessoas por mês. O valor total investido foi de R$ 6,9 milhões. A nova UPA foi construída para desafogar a emergência do HRL e assim liberar leitos bem como ampliar a assistência cirúrgica.

 

A UPA Paranoá conta com dois leitos de atendimento crítico emergencial na Sala Vermelha, seis leitos de observação e um leito de isolamento na Sala Amarela. Além disso, possui dez poltronas de medicação/inalação e reidratação na Sala Verde e três consultórios. O local ainda foi equipado com laboratório para exames de urgência, eletrocardiograma e raio-x – exame não obrigatório na estrutura de uma UPA, conforme determina o Ministério da Saúde, mas que foi acrescentado à unidade para dar maior agilidade nos atendimentos.

 

UPA do Paranoá. Unidade tem capacidade para atender cerca de 4,5 mil pacientes por mês – Foto: Renato Alves/Agência Brasília

Espaços foram revitalizados, como os centros de especialidades para a Atenção às Pessoas em Situação de Violência Sexual, Familiar e Doméstica (Cepavs) Girassol – localizado no HRL- e Tulipa – em São Sebastião. O ambulatório do HRL também recebeu obras em diversos locais, como o Centro de Especialidades Odontológicas (CEO).

 

Projetos

 

Dentre as parcerias firmadas para atender a população, o Hospital da Região Leste iniciou três projetos neste ano. O primeiro foi o “Projeto Lean nas Emergências”, que conta com o apoio do Ministério da Saúde em parceria com o Hospital Sírio-Libanês, o qual reorganiza os processos de trabalho em todo hospital para reduzir a superlotação.

 

Outros projetos implementados no HRL foram o “Saúde em Suas Mãos”, uma parceria com o Hospital Albert Einstein, e a planificação da Linha Materna Infantil, que envolve as atenções primária e secundária.

 

Colaborou Luiz Fernando Cândido, da Região de Saúde Leste