Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
1/07/19 às 9h25 - Atualizado em 2/07/19 às 13h07

Enfermaria da Ortopedia do HRT ganha cores alegres para receber crianças

COMPARTILHAR

Personagens de contos de fadas e super-heróis ocupam as paredes

 

O ambiente hospitalar costuma ser pouco acolhedor, com cores sólidas, arquitetura impessoal e, às vezes, desgastado pelo tempo e o uso intenso. Pensando em humanizar mais esse espaço e criar um ambiente mais lúdico, estagiários de uma instituição privada mudaram o aspecto da enfermaria ortopédica da Pediatria do Hospital Regional de Taguatinga (HRT). Eles coloriram as paredes. Agora, personagens de contos de fadas e super-heróis estampam as paredes do lugar onde crianças, muitas vezes imobilizadas, se recuperam de cirurgias.

 

“Dá para perceber a surpresa no rosto das crianças, que saem assustadas da sala de cirurgia e chegam nesse novo ambiente lúdico. Elas parecem até esquecer que estão em um hospital. Isso é muito bom para a recuperação dos pacientes. Alguns tiram fotos das paredes e selfies próximas aos personagens preferidos. O difícil, agora, é dar alta”, brinca a chefe de Enfermagem da Ortopedia, Hilda Braz.

 

Esse é o resultado de um projeto de intervenção na Enfermaria, que recebe os pacientes da Ortopedia Pediátrica à espera de cirurgia ou que estão em recuperação pós-operatória. São crianças e adolescentes de 0 a 16 anos, que permanecem de sete a 20 dias, em média, na unidade.

 

De acordo com a enfermeira, a iniciativa teve o apoio e a orientação do hospital, que recebe centenas de estudantes de diferentes entidades todos os semestres. “Nós queríamos fazer essa reforma há algum tempo, porque a gente via que aquele ambiente triste não fazia bem às crianças”, relatou Hilda. Segundo ela, até os pais estão gostando da novidade.

 

ESTÁGIO – O HRT recebeu, no primeiro semestre de 2019, mais mil estagiários. Somente de nível superior, são 960 estudantes, de 14 instituições diferentes, realizando práticas nas áreas de Medicina, Nutrição, Enfermagem, Farmácia, terapia ocupacional, Psicologia e Odontologia. Já de nível médio, são mais 243 estudantes de técnicas em enfermagem e técnica em radiologia, oriundos de cinco instituições de ensino públicas e privadas.

 

 

Josiane Canterle, da Agência Saúde

Fotos: Breno Esaki/Saúde-DF