Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
29/11/12 às 19h21 - Atualizado em 30/10/18 às 14h57

Equipe do Recanto das Emas discute melhorias na Rede Cegonha

A Coordenação de Saúde do Recanto das Sem encerrou nesta quinta-feira (29), à tarde, uma oficina com duração de dois dias que reuniu médicos, enfermeiros, dentistas, assistentes sociais e técnicos de enfermagem, de laboratório e administrativos ligados ao cuidado materno/ infantil. O objetivo foi alinhar os serviços prestados na cidade que fazem parte da Rede Cegonha, a fim de melhorar os resultados obtidos com o programa lançado pelo Ministério da Saúde.

Para o coordenador geral de Saúde do Recanto das Emas, Fábio Alauri Sabino, “é fundamental que as diversas unidades que compõe a regional de saúde atuem da mesma forma e é por isso que a oficina assume importância fundamental, no sentido de alinhar  os serviços oferecidos, desde o teste para a confirmação da gravidez, passando por todas os componentes da Rede Cegonha”, explica.

A Oficina de Planificação da atenção primária é uma estratégia adotada pelo Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass) visando articular as Redes de Atenção à Saúde em todos os estados. No Recanto das Emas, o tema escolhido como exercício prático foi a Rede Cegonha, como forma de incentivar os serviços que já existem na prática ou que estão em fase de implantação.

Durante os dois dias de oficina, no auditório da Escola de Enfermagem da SES-DF, em Samambaia, várias explanações foram feitas tanto pelos profissionais dos centros de saúde, que promovem a atenção primária pelo modelo tradicional, como das equipes da Estratégia Saúde da Família. A oportunidade também serviu para “pactuar” as ações, ou seja, designar efetivamente o que fica a cargo de qual equipe.  “Essa é uma forma de garantir a continuidade do processo e agilizar a tomada das decisões no caso de cada paciente que dá entrada no nosso sistema”, avalia Fábio.

Confira algumas das propostas pactuadas durante a oficina:
Garantir a captação precoce das gestantes
Realizar o teste rápido de gravidez
Garantir a qualidade  do pré-natal
Garantir a avaliação do risco obstétrico
Garantir os mecanismos de comunicação com os usuários (Ouvidoria)
Garantir consulta de puerpério até dez dias depois do parto
Garantir as consultas de cuidado infantil (Crescimento e desenvolvimento do bebê)
Ampliar e qualificar a investigação dos óbitos infantil e fetal

Arielce Haine