Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
8/04/13 às 19h36 - Atualizado em 30/10/18 às 14h58

ESCS firma parceria com Marshall School of Business dos EUA

A Escola Superior de Ciências da Saúde (ESCS) firmou parceria, com duração de cinco anos, com a Marshall School of Business (MSB), dos Estados Unidos, com o objetivo de unir práticas viáveis da área acadêmica e a realidade da gestão de saúde e assim melhorar o serviço público do Sistema Único de Saúde (SUS/DF), inicialmente no Distrito Federal. A iniciativa da Coordenação de Pesquisa e Comunicação Científica (CPEq/ESCS) visa reunir alunos do mestrado do curso de Gestão e Inovação de Processo, da Universidade americana com os gestores e profissionais da área da saúde pública no DF, para análise conjuntara da situação da saúde local.

O professor PhD em gestão e tecnologia voltadas para operações de saúde global, com atuação em universidades renomadas como a Massachusetts Institute of Technology (MIT) e a Indian Institute of Technology – Bombay, e coordenador do curso de mestrado na Marshall School of Business, Sriram Dasu, visitou semana passada a Escola. O objetivo da visita é finalizar um dos primeiros trabalhos dessa parceria, iniciado em março de 2012, e definir com a CPEq um termo de cooperação entre as Escolas.

O cenário desse primeiro trabalho foi a regional de Samambaia, com a participação de gestores, servidores da SES-DF, estudantes brasileiros e 11 estudantes da MSB. Em março deste ano, a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Recanto das Emas foi o cenário de pesquisa dessa parceria. Três estudantes de mestrado reuniram-se com profissionais de saúde da unidade a fim de encontrar soluções viáveis de acordo com a realidade de problemas vivenciados por aquela comunidade. A conclusão do trabalho, coordenada pelo doutor Dasu, será apresentada em maio, numa teleconferência.

Parceria

O professor coordenador do projeto na ESCS, Karlo Quadros, afirma que o objetivo principal é criar pequenas mudanças que causem grande impacto no serviço público. “Queremos interagir com outras áreas, além da saúde, a fim de reorganizar o serviço e o processo de trabalho para melhorar a gestão e o atendimento ao cidadão”.

O coordenador aponta que essa parceria é uma forma de unir reflexão e a experiência em pesquisa da área acadêmica com as práticas do mundo real. “Um dos exemplos que temos é a atuação de um enfermeiro do Centro de Saúde nº 04 de Samambaia que participou da parceria realizada ano passado entre estudantes da universidade americana, estudantes brasileiro, servidores e gestores de saúde do DF. A proposta dele na unidade foi a de realizar caminhada com grupo de pacientes além de palestras sobre hipertensão e diabetes. O trabalho foi feito e o resultado foi muito positivo. Os pacientes tiveram suas taxas estabilizadas, o que não acontecia antes com o acompanhamento só com palestras”, declarou o coordenador.

De acordo com o coordenador, ainda existe pouca compreensão dos gestores em relação a essas mudanças. Quando os profissionais que participam desses módulos têm o interesse de testar uma mudança, encontram barreiras dos próprios chefes e colegas. “A ideia é plantar a semente e dar continuidade a este trabalho, pregar as práticas inovadoras, e sem custo, para que tudo seja replicado no SUS do DF e em outras partes do país”, conclui.

Para Karlo, a parceria e os seus resultados são um estímulo para os estudantes de Medicina e Enfermagem da Escola Superior que prega o modelo implantado Integração-Serviço para o SUS. “Também queremos motivar os gestores e profissionais servidores da Secretaria de Saúde a participarem dos módulos a serem realizados nesses anos de parceria, além de concretizar a criação de um laboratório de inovação em gestão e processos, como sugestão da Organização Pan-Americana de Saúde” finaliza.