Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
12/01/22 às 19h20 - Atualizado em 12/01/22 às 20h36

Escudo contra covid-19 é a cobertura vacinal, reforça secretário de Saúde

Com alta de casos, pasta monitora ocupação de leitos

 

HUMBERTO LEITE, DA AGÊNCIA SAÚDE-DF | EDIÇÃO: MARGARETH LOURENÇO | REVISÃO: JULIANA SAMPAIO

 

Com 4.220 novos casos de covid-19 registrados na última terça-feira (11), e índice de transmissibilidade (RT) de 2,06, o que significa que 100 pessoas infectadas transmitem para outras 206, a Secretaria de Saúde monitora a ocupação de leitos e dos insumos necessários. “O grande escudo que a gente tem hoje é a cobertura vacinal”, reafirmou o gestor da pasta, general Manoel Pafiadache, durante coletiva, na tarde desta quarta-feira (12), no Palácio do Buriti.

 

Coletiva de imprensa no Palácio do Buriti – Foto: Sandro Araújo/Agência Saúde-DF

Dos 55 leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) covid da rede pública, 23 estavam ocupados na manhã desta quarta-feira. Dos 45 leitos ativos em Unidade de Cuidados Intermediários (UCI), 23 estavam ocupados. E dos 95 leitos de enfermaria para covid-19, 56 estavam vagos. “Houve uma sobrecarga na nossa atenção primária e nos atendimentos de urgência e de emergência. Mas isso não se traduziu em internações e óbitos”, assegurou Pafiadache. Ele ressaltou que a maior procura nas Unidades Básicas de Saúde e nos hospitais também é explicada pelo aumento dos casos de influenza.

 

Um comitê da Secretaria de Saúde acompanha a evolução dos números e poderá mobilizar mais leitos, em caso de necessidade. “Tudo o que viveremos será rápido, em curto espaço de tempo, e isso exige respostas rápidas”, disse o secretário-adjunto de Assistência à Saúde, Fernando Erick Damasceno. Ele também destacou a estratégia de ampliação dos testes. “Não é uma testagem em massa, sem critério, mas é ampliada. As ações são voltadas para diminuir a transmissibilidade”.

 

O grande escudo que a gente tem hoje é a cobertura vacinal, afirmou o secretário de Saúde, Manoel Pafiadache – Foto: Sandro Araújo/Agência Saúde-DF

O governador em exercício, Paco Britto, enfatizou que 90% dos internados não iniciaram ou não completaram o esquema vacinal. “Fazemos um apelo à população para que nos ajude a divulgar. Vacina boa é vacina no braço, e assim teremos a tranquilidade de termos uma população ativa, trabalhando”, informou.

 

A partir desta quarta-feira, estão proibidos eventos com cobrança de ingresso, como shows e eventos festivos. A medida foi explicada pelo chefe da Casa Civil do Governo do Distrito Federal, Gustavo Rocha. “São medidas que precisam ser tomadas para evitar questões mais duras”, frisou. O governador em exercício completou que a intenção é, tão logo seja possível, suspender as medidas do decreto em vigor.