Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
14/01/22 às 14h38 - Atualizado em 14/01/22 às 15h29

Estoques de vacinas contra Influenza estão perto do fim

Quem não se vacinou pode procurar um dos locais que ainda têm vacinas; imunizantes serão repostos na campanha de 2022

 

LÍVIA DAVANZO, DA AGÊNCIA SAÚDE-DF | EDIÇÃO: JOHNNY BRAGA | REVISÃO: JULIANA SAMPAIO

Quem ainda não tomou e quer receber a vacina contra o vírus Influenza pode procurar o ponto de vacinação mais próximo. A lista com os locais que ainda têm o imunizante é divulgada diariamente no site da Secretaria de Saúde. Hoje, o DF tem cerca de 2 mil doses que estão distribuídas nas unidades das regiões Norte e Sul.

 

Foto: Breno Esaki/Agência Saúde-DF

A vacina contra a influenza é segura e previne contra as formas mais graves da doença. O imunizante da gripe pode ser aplicado, inclusive, no mesmo dia que a vacina contra a covid-19, conforme orientação do Ministério da Saúde.

 

O imunizante é contraindicado para crianças menores de 6 meses de idade e pessoas com história de alergia grave (anafilaxia) a algum componente da vacina ou que tiveram reações alérgicas à dose anterior.

 

Como prevenir?

 

Segundo a Referência Técnica Distrital (RTD) de Infectologia, Lívia Vanessa Ribeiro, a prevenção tanto da Influenza quanto da covid-19 deve ser feita por meio do uso de máscara de boa qualidade que cubra nariz e boca, da higienização constante das mãos com álcool a 70% ou água e sabão, da proteção da boca e nariz com lenço de papel ao tossir e/ou espirrar, do cuidado de ter os ambientes ventilados e da conduta de evitar aglomerações e locais fechados. O distanciamento social recomendado é de dois metros.

 

Campanha 2022

 

Novas vacinas contra a Influenza serão recebidas a partir do lançamento da campanha 2022, que ocorre todos os anos entre o final de março e início de abril. O envio das doses e a definição do período de início da campanha são definidos pelo Ministério da Saúde.

 

“O aumento de casos de Influenza que temos visto agora ocorre principalmente pela baixa cobertura vacinal em 2021”, destaca a médica Lívia Vanessa Ribeiro. Ela pede que a população fique atenta ao início da campanha de vacinação de 2022. “A nova vacina já traz as atualizações com base nos vírus que estão circulando”, pontua.